Slack e Debian II

Debian deve ser um anagrama de “Merda”.
Ainda é pior que o Slackware.
A única distribuição baseada em Debian que consegui instalar foi o Ubuntu, mas multiprocessador é treta. E depois onde está a fonte do kernel para recompilar? E o .config?

Mais vale aprender a trabalhar com o initrd e manter o Slack. Vai ser duro pois não sei que módulos é que tenho que carregar e por cada tentativa tenho que reinstalar o SO todo, uma vez que não consigo arranjar um dispositivo de arranque (disquete, USB, CD) para reconfigurar o sistema.

Para quem não faz ideia do que estou a falar (initrd = “initial ram disk”) o kernel 2.6 carrega um sistema operativo virtual em ramdisk, durante a fase de arranque, para reconhecer os dispositivos existentes na máquina e poder carregar o sistema operativo real.
Quando recompilamos o kernel para adicionar um extra qualquer, por exemplo multiprocessadores, temos que recriar à mão esse sistema operativo virtual, empacotá-lo no formato initrd, colocá-lo no sítio certo, com as dependências adequadas e depois reiniciar a máquina à espera que esteja tudo bem e que arranque. Se correr mal, voltamos à casa de partida, ou seja, reisntalar o SO desde o very início.
Foda-se. Os dias de trevas voltaram ao Linux. Merda do kernel 2.6.

Comme Restus

Registe-se.

A minha escola artística reúne gajos como os Comme Restus, o Manuel João Vieira e o Salvador Dali.
Apesar de não ter muito tempo para ouvir música nova, aqui vai uma lista de temas fabulosos dos primeiros:

  • Extrudes (um hino ao amor!)
  • Palhasso do caralho
  • Pixa Tripla
  • Punheta de Mamas
  • Ristórante de merda
  • Amandame côa paxaxa pus dentes
  • Brutalisa-me cuatua mánica de pudar
  • Eu xamome Ãtónio

Mais info em: http://comme-restus.deviantart.com/, http://www.last.fm/music/COMME+RESTUS e outros que podem encontrar na net.

Haverá temas mais recentes destes gajos… mas tôuma cagar, não quero saber.
Aliás até quero. Digam qualquer coisa.

Quanto ao nosso presidente, o Vieira, o hino é o “Colhão colhão”:

  • [colhões] andam sempre aos pares como os polícias…
  • as novas gerações nascem nos Colhões…
  • and so on

An Ending

Para quem viu o filme Traffic com o Benicio Del Toro, o Michael Douglas e a Catherine Zeta-Jones, sabe do que estou a falar. A música do final, quando o Del Toro está a comer pipocas e a assistir a um jogo de baseball à noite, num estádio iluminado, no México (a única exigência que ele tinha feito aos americanos para os ajudar a acabar com os cartéis da droga no México), essa música, etérea, fabulosa, e que remata o filme de uma forma irrepreensível, é do Brian Eno, do álbum Apollo: An Ending (Ascent).

Mas o filme não é só esta música. Faz-me lembrar o Mistério de Oberwald do Antonioni, pelas cores. É um filme extremamente realista pelo tema e pela montagem, mas absolutamente surrealista nos filtros que o Soderbergh utilizou: o roxo, o amarelo, o laranja.

Não há muitos americanos a conseguir fazer filmes que sejam capazes aos olhos da cultura europeia. Mas este é um deles, apesar do tema e as distracções serem claramente americanos.

Slack e Debian

Quem é o cabrão que vem práqui escrever caralhadas?

Isto é um site de trabalho, foda-se!

Enfim, hoje decidi deixar o Slackware. Sou um gajo fiel por natureza e o Slack não se pode queixar disso. São 10 anos juntos. Mas esta merda não funciona com máquinas com 4Gb, Sata, duplo processador, RIAD e … (Alto! RIAD? isso é a capital da Arábia Saudita. Será um lapso? E se for um laspo, será o a tentar dizer-me alguma coisa? Que vai enrabar o pelas costas? Bem… logo se verá)… RAID queria eu dizer, e mais o caralho. Estou farto disto.

… Mas como ia dizendo, vou experimentar o Debian. Descarreguei os 2 DVDs, 9Gb, e vou ver se consigo pôr a puta da máquina a correr.

Depois digo qualquer coisa aos meus sedentos leitores! eh eh eh

Um dia no paraíso

Um dia Adão e Eva têm uma tremenda discussão. Fartos de se andarem a comer um ao outro separam-se. Eva, que não podia passar sem uma boa queca, desesperada, decide procurar um parceiro. Ia a andar, encontra um gorila a dormir numa árvore e diz-lhe:

– Gorila damos uma trancada?

– Tu és maluca! Eu só como macacas!

Eva desesperada sobe à árvore atrás dele e o gorila foge. Eva não o apanha mas ainda lhe consegue arrancar alguns pelos do cú…Mais tarde, Eva encontra um dinossauro a dormir, acorda-o e diz:

– Dinossauro come-me toda !!!!

O dinossauro olha para ela de alto a baixo e diz :

– Tu deves ser louca! Já viste que a minha sarda é maior que tu!!!

Eva furiosa manda um pedra ao olho do dinossauro, fá-lo cair da falésia abaixo e ele morre… Completamente rebarbada Eva passa por um lago e vê um peixe aos saltos. Mergulha, vai ter com ele e
pergunta-lhe se quer dar uma queca. O peixe todo contente diz que sim. Eva vai então para a margem do lago abre as pernocas. O peixe salta da água e vai para dentro e para fora várias vezes e Eva lá consegue ter a sua queca. . . . . . . . . . . .

QUAL É A MORAL DESTA HISTÓRIA?

1º – Já sabemos porque é que os macacos não têm pelos no cú;

2º – Já sabemos porque é que os dinossauros desapareceram;

3º – Só não sabemos qual era o cheiro que os peixes tinham antes.

Cães e Gatos

Os homens gostam de cães, as mulheres gostam de gatos.

Bem… há excepções. Sobre os homens que gostam de gatos, não sei nada, mas sobre as mulheres que gostam de cães, costumam aparecer na enfermaria todas arranhadas a pedir a pílula do dia seguinte.

Foda-se… caralho… não sei como começar esta merda…
O meu gato… (não fiquem praí a pensar coisas, comprei-o a pensar que era uma bola de futebol).
Bem… o meu gato já não me enche o pé. Ou então, estou farto de marcar golos com ele.
Acho que agora estou a precisar de um porco, que é mais gordinho e redondinho.

kRáPulas do Karalho

Os notários são os maiores kRápulas do karalho keu kunhesso.
À 1s ânus atráz, demurei 9 mezes pra fazer uma excritura de mudansa de çócios, purke akilo naõ lhes dava dinheiro neñhun, e os philhus dâ pootâ estávão semprádiar. Todus os dias faltava 1 papél novo láh tiñhâmos ke markar nova excritura.
Oje fui fazêr uma excritura de cesção de cotas. Exta foi máis rápida, mas tâmbem kubraram 860 êurus.

Kavrões do karálho.

Dia do karalho

Hoje phoi um dia do karalho.
Depois de ter instalado uma bateria na UPÇ da miñha máqina prinçipal, fikei páki a trabalhar no jogo.
Agora estou a tentar komfigurar a primeira máqina do cluster de çervidôuros.
O kavrão do raiD teima em não xegar há frente.
Exta merda dos belóguius, pra mim são uma katarze. Já fui expulço de todo o lado. Só o Macakos é que ainda maguenta.
Emphim, karralho da máqina não quer fumssionar.

jóLas

A minha filha mais nova (tem quase 3 anos) passou o dia a pedir jóLas.
Vem ter comigo e diz: “JóLa”, e eu dou-lhe uma cerveja.
Quinze minutos depois, novamente: “jóLa”, e eu dou-lhe mais uma cerveja.
Foi a tarde toda.

Começam a beber tão cedo… Não sei onde este mundo vai parar…

vitÓria de Çetubál

qDo o vitòria gañhou o direito de ir disputar a final da tassa pela çegunda vex conçecutiva (da última vez comeu o bemFica pelas costas), nesse dia, os comentadores çóh falavam do Guimarães. UM paleio do caralho çobro Guimarães… kéra o bersso de porTugal, kéra o karralho, ke tinha a melhor klake… e do ÇeTubál só dissçeram que láh çe comia choco frito. Aliáz, a converrça foi mais ou menos assçim:
“O extádio já extá xeio, mas de apoiantex do Guimarães, que tem a melhor klake, blah blah blah (e depois perderam)… os apoiantes do CeTubál devem xegar maix taRde… nexta altura ainda devem extar a comer choCo friTo…”

Vão pró caralho…

Vamos comer o POrto, o CO Adriaanse, O Pinto da COsta e aqueles gajus tods.

Os gajus jogam com 14, mas a jente fódus gajos.

eU Çou VeGetaRaino

Eu sou vejetarianu.
Çoh komo coisas vegetarianas como vacas, cabritiños… ââââhhhh… naõ me lembru demais.
E Outras ke comem vegetarianos, como ratas e coisas do jéneru.
Jah dizia o meu pai (desculpem exta comfusaõ, mas o meu teklado naõ tem assentos e tenho ke extar práqui a inpurvisar):

Todo o pássaru kome trigu
Só a koruja bebe azeit
A passarinha da menina
Come carne e bebe leite

Termino com uma phraze daquele gaju, qualquer coisa Mello, que aconpanhava o AnTónio Lopez Ribeiro na RTP, nos programas çobre Kino… cinema… à mais de (ou menos) 40 anos atráz:

(despede-te láh do publíco)

Bô nôte!

(extartigo teve inspirassaõ sísmica)

IRReVersíVel

Emphim, lá conçegi ver o philm.
Compraio o ano paçado e çoh honten é ke arrangei tempo pró ver.
O kabrão do Kazelli é um granda realizador. O philm está mesmo bem faito.
A buceta… como é kela se xama… a Mónica Bellucci xetá muita boa…
Mas o philm não é çoh éla.
Até tem algumas piadas. Aquela xetória de haver um gajo chamado Ténia que estava num bar xamado Rectum, é demais.
A câmara, a montagem, o flashback (ou backtrack na minha langage de programadô).
Naiçe!