Homem morto candidata-se à presidência

Para provar que está vivo
“Homem morto” candidata-se à presidência da Índia

Um homem declarado morto decidiu candidatar-se à presidência da Índia – eleições que ocorrem em julho – para provar às autoridades do país que está vivo. Tem esperança que os documentos obrigatórios provem a sua existência. Isto porque também da carta que escreveu ao primeiro-ministro, Santosh Kumar Singh não obteve resposta

Santosh Kumar Sing, um cozinheiro de 32, passou nove anos da sua vida a tentar provar às autoridades indianas que está vivo, depois da sua família de casta alta o ter declarado morto por causa da sua decisão de casar com uma mulher dalit, a casta mais baixa conhecida como “intocável”.

O homem chegou a escrever ao primeiro-ministro, mas sem sucesso. Decidiu por isso, candidatar-se à presidência da República da índia na esperança que os documentos provem a sua existência, tornando-se assim um dos 12 candidatos.

Santosh Kumar Sing saiu da sua aldeia no ano 2000 para trabalhar em Mumbai, onde se apaixonou e casou com uma mulher dalit. Quando regressou, três anos depois, para apresentar a sua esposa à família, os seus parentes de casta alta não aceitaram o casamento, consideraram-no uma desgraça, baniram Santosh da família e foi declarado morto.

“Alguns dos meus familiares, com a ajuda da polícia, usurparam-me 12,1 hectares de terra. Pedi ajuda à polícia e fui atacado. Disseram: o senhor está morto segundo os documentos oficiais, se não sair da aldeia ficará realmente morto”, declarou ao diário britânico The Telegraph.

A ação intentada para anular a sua certidão de óbito foi indeferida no ano passado, e a sua sogra foi ridicularizada por permitir que a filha tenha casado com um homem morto.

Autor: toxinox

Tóxico inoxidável. Não aconselhado o contacto, manipulação ou observação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *