BANDEIRA NACIONAL

Te vi.
Pois te vi.

Cálida e frémula, pelas micro-ondas passadas.
Tinhas a tez castanha de ténues laivos negros,
e cheirosa estavas.
Palpitavam em tu 3 sementes oleosas, intactas, e 1 semente ovular, túrgida do leite vacuno e fremente da vara metálica, dourada, armilar.
Acerquei.
Era ela que eu, frenético, enrolei e talhei, plácida chuva perene sobre ti.
A teu lado jorrava o sanguíneo néctar, alvíssaras a Baco! que néctar assim foi ao fim do tetraénimo dourado!
Enrolei-me em tua textura, que glória imensa.
Mas.
O frémito interrupto pela epifania:
Ó fraca luz enganadora que não era salsa era bachata!

Volvi.

Mais atento anusei, que a vista toldada pelo líquido engana.
Acerquei então o gume com um sorriso, e te choveu perene novamente, mas o perene mais intenso.
E já que te choveu, choveu no vidro mais néctar.
Em ti rebolou o férreo tetradente, sumarenta estavas rendida a meus esmaltes famélicos.
Agora te foste, e restam os últimos laivos verdes, ora ali um amarelo esquecido, e ainda sorvo um vermelho final.

Lixo no forno

lixo no fornpo
Sim, leram bem, isto tecnicamente é, ou seria, lixo.
Daqui só a cebola e o azeite näo eram coisas que estavam a ponto de ser mandadas para o lixo:
– a cara de bacalhau, porque depois de retirados os filetöes o pessoal näo sabe o que fazer com o que sobra, e se ninguém compra vai pro lixo;
– os pimentos, porque já näo estavam lustrosos embora estivessem sem bicheza ou bolor, e se ninguém compra vai pro lixo.

Calhei a passar ao lado da banca e chamou-me a atenc,äo, por ser coisa que nunca vi pelas Finlândias. Referi-o à empregada… e acabei por o levar para casa à borla!
Mmm… que “lixo” delicioso! Obrigado ignorantes finlandeses por este pitéu!
Bacalhau a saber a pato!
Foi acompanhado de batatas assadas no micro-ondas, e para beber foi um Uvas Douradas tinto Bairrada DOC Reserva 2007.

O aumento do PIB

Juros da dívida de Portugal a descer em todos os prazos
Os juros da dívida de Portugal estavam hoje a descer em todos os prazos em relação a terça-feira, depois do “chumbo” do Tribunal Constitucional e alinhados com os juros da Irlanda, Itália e de Espanha…

– – –

Pois então se a decisão do TC faz aumentar o PIB e concomitantemente baixa o rácio dívida/PIB…
Os “mercados” são conhecidos por não apreciarem altos rácios dívida/PIB.

– – –
Por outro lado este é mais um prego no caixão do Euro. Vamos ver se ele morre, se fica zombie, ou se medra.

– – –
Outra coisa: Qual é a palavra que vem à cabeça quando se trata do verbo medrar?
http://www.dicio.com.br/medrar/

O Raposo e o Coelho

Então fui ao Teatro da Trindade ver o Zorro.

Zorro dá cabo deles
Vulpini, Zorro, Raposa

E qual não é o meu espanto quando o Mau entra em cena e faz um dicurso mentiroso, egoísta mas a parecer que era ele que se sacrificava, em que diz que todos temos que fazer sacrificios e apertar o cinto, e com isto todos excepto ele teriam de trabalhar mais e receber menos.
Que em nome do futuro e da sustentabilidade tinha de ser assim.
Que ele era um benfeitor, quando na verdade era o coveiro.
E que o melhor era mesmo os jovens emigrarem.
E assim se consumava o genocídio do futuro enquanto ele falava de esperança e de um porvir abastado.
Parecia mesmo um Coelho real.

Só é pena que que não haja mesmo Zorros, para o desmascararem e terminar-lhe com a funesta carreira.

– – –
A peça vale mesmo a pena. Diverti-me imenso.

Falando de compras – Out 2013

Abriu uma Primark no Colombo.
Passei por lá há pouco.
Enorme, atuchada de gente e de expositores com roupa.
A atmosfera estava carregada, com uma névoa de pó de texteis e de cheiros suados.
Deu-me a tosse.
Vim-me embora. À porta o alívio.

Isto é que vai uma crise…

Озеро Восток

Я был на озере Восток, когда все пошло не так.
Я увидел спасательную команду отправиться в меня, как я упаду в обморок в полной холодной метель,.
Потом я проснулся в больнице.
Тысячу лет прошло.

Vostok lake
озере Восток

Da contra-intuitividade na economia

Quando se entra numa curva e o carro derrapa, o instinto é travar. Nada mais errado, porque na melhor das hipóteses o carro pára no meio da estrada, sujeitando-se a levar com quem venha de frente ou de trás. Aquando da derrapagem, o que se tem de fazer é tirar o pé do acelerador, contra-brecar, e acelerar.
Os pilotos de avião também aprendem que, entrando em perda de sustentação (stall), sendo que a reacçäo instintiva seria levantar o bico do aparelho, o que devem fazer primeiro é baixar-lhe o bico, diminuindo o ângulo de ataque e aumentando a velocidade; só assim se consegue ganhar controlo para entäo depois levantar o bico ao aparelho.

Com o combate à dívida pública (ainda mais em tempo de recessäo) estamos na mesma: cortar na despesa com salários até parece o ideal para começar o processo de diminuir a dívida pública, mas isso aumenta a dívida pública, ainda mais em tempo de recessäo; além de que cortar nos sectores da segurança social, educação e saúde é o equivalente a subir os impostos às famílias. Ahn? É que sem esse dinheiro na economia existe menos consumo, logo menos emprego, e mais subsídios de desemprego para pagar, logo só por aí aumenta a dívida pública .. além de que com menos consumo também hão menos impostos cobrados (sobre o consumo e sobre os lucros), logo näo se conseguem sequer pagar os juros sobre a dívida pública existente, aumentando-a. É o descalabro.

Derrapagem descontrolada
Gaspar depois de uma derrapagem,
enquanto seguia a caminho do Ministério

A cortar na despesa, que seja nas negociatas das PPPs e nos benefícios fiscais à banca e demais amigos, tipo os da SLN (Galilei), ex-donos do BPN . É que essas ainda näo foram pagas, e mesmo que fossem pagas nada garantiria que fossem investidos na economia real, antes pelo contrário. Isto seria o que faria um Governo realmente interessado em relançar a economia do País e diminuir a dívida pública.

Mas Passos & Gaspar nada entendem de carros, nem de aviões, nem da economia real. Nem estão interessados em relançar a economia portuguesa, nem lhes importa uma piroca que os portugueses estejam a morrer à fome.

Relvas, o precursor?

Faltando-lhe as condições anímicas, demitiu-se o Relvas

E em breve, faltando-lhe as condições anímico-constitucionais este governo fará o quê?

No turbilhão, todos se esquecem do Relvas… que consegue sair de cena apenas chamuscado quando todos o consideravam esturricado.

Mas o turbilhãp continua.
Segundo resgate à vsita?
Pelo sim pelo não os capitais têm estado a migrar.
Dor de corno, dor de chifre, dor de Chipre.

Quantos já foram encornados pelas promessas dos políticos?

Livra!

Estudos para quê?
Vai estudar, oh Relvas!

Descoberto homem que não descende de Adão

Ora aqui está uma coisa inacreditável:
Um homem que não descende do pai Adão!
Afinal havia outro…

Porque é que isso não me surpreende?

– – –
Parece que se chamava Albert Perry. O Alberto, claro! O irmão do Perry. Que tinha ido para os Estados Unidos e nunca mais se soube nada dele. Agora é famoso. Vem nas capas e tudo.

Tinha ascendência da zona da Guiná Bissau – Camarões – Senegal
Só podia.
Ainda vão descobrir que o irmão vive em Portugal.

E agora? Que vão fazer as religiões monoteístas que fazem fé no Chornal do ìncrível mais antigo que há memória (um tal chornal que dá pelo nome de Antigo Testamento e que está cheio de histórias incríveis e inacreditáveis. Como a do pai Adão…. )?
Esperemos pelo próximo papa.

Só mesmo neste planeta…

Mulheres…

… então a Procuradora Geral reuniu os quatro magistrados mais importantes, distribui-lhes pastas com os assuntos da reunião e falou, falou, falou…
Mais tarde processa a Candida por violação do segredo de justiça.
É que as pastas tinham conteúdos diferentes e só a da Candida é que surgiu na imprensa.
Quem sacaneou quem?

A Candida apresentou a demissão.

EDP: Tarifa Simples ou Tarifa Bi-Horária?

EDP: Tarifa Simples ou Tarifa Bi-Horária?

Consideremos o caso de uma residência doméstica, ou de um pequeno retalhista.
A tarifa simples, H, é de 0,1396 euros.
A tarifa bi-horária é: B1=0,1582 € e B2= 0,0864 €.
Notar que se tem sempre: B1 > H > B2, ou seja que H é uma tarifa intermédia.
(Informação constante de
https://energia.edp.pt/particulares/gaseeletricidade/casa-total/tarifarios.aspx )

O tarifário simples, H, é intermédio entre o par da tarifas bi-horárias.
Aderindo ao tarifário bi-horário, se todo o consumo ocorrer nas horas mais onerosas, o consumidor acaba por pagar mais.

Coloca-se a questão: Que proporção do consumo é que vai ter de passar para B2 para se atingir o break even relativamente ao tarifário simples, H?

No caso de existir tarifa bi-horária o consumo total C, passa a estar repartido por C1 com tarifa B1 e por C2 com tarifa B2. Tendo-se C= C1+C2, pelo que C1= C-C2.

A condição de break even é: CH=C1B1 + C2B2

Esta condição pode ser reescrita como: CH= (C-C2)B1 + C2B2.

Manipulando obtém-se: C(H-B1)= C2 (B2-B1).

Esta última expressão permite concluir que:
C2= C (B1-H)/(B1-B2)

Reparar que (B1-H)/(B1-B2) é um rácio sempre menor que um, uma vez que H é sempre maior que B2.

Este rácio, que só depende da política tarifária, representa a percentagem do consumo que vai ter de passar para a tarifa B2 de forma a que a mudança de tarifário seja compensadora.

Para a situação exemplificada (B1-H)/(B1-B2) traduz-se em:
26% = (0,1582- 0,1396)/(0,1582-0,0864)

Ou seja, pelo menos 26% do consumo tem de passar a ser B2 para compensar.

Nota: Quando não existir aumento de preço, quando B1 for igual a H, este rácio é mesmo zero. Ou seja, qualquer que seja B2> 0, já compensa.

É inacreditável. A companhia da electricidade tira com uma mão o que dá com a outra.

A lendária incompetência do IEFP

Até seria hilariante, se não fosse mesmo um email real

From: “Netforce_drl@iefp.pt”
Sent: Tuesday, December 18, 2012 7:00 PM
Subject: Contratação de docentes/formadores 2013-2015
O IEFP, I.P. está a promover o lançamento, a nível nacional, de um concurso para admissão de docentes e formadores para o desenvolvimento de formação nas componentes de formação de base, sociocultural e científica nas diferentes modalidades de formação, no quadro da respetiva rede de Centros de Emprego e Formação Profissional.

Este concurso é desenvolvido através do Sistema Interativo de Gestão de Recursos Humanos da Educação- SIGRHE do Ministério da Educação e Ciência:
https://sigrhe.dgae.mec.pt

O prazo de candidaturas decorre no período de 19 a 21 de dezembro de 2012.

Todas as dúvidas sobre este processo devem ser enviadas para o seguinte endereço eletrónico: concursoiefp2012@iefp.pt

Para mais informações, consulte o seguinte link http://10.10.23.193/netprod/MAILING_ANEXOS/IEFP_Aviso_1_2012_Contratacao_Docentes_Formadores.pdf no qual consta o aviso de abertura de procedimentos de seleção.

Mas estas paramécias não sabem a diferença entre um IP privado e um IP público?