Cumprir ou não cumprir

Entraram-me três gajos no Taxi a falar camone.
Mas eu até entendo camone. O que eles diziam, que era mais ou menos assim, não fazia sentido nenhum:
… então a gente lixa-os a torto e a direito para eles não cumprirem.
Mas estes gajos são tramados, ainda cumprem o acordo.
Pois, mas de tão lixados que vão ficar com o que nós vamos fazer aos bancos deles, vão ter de se revoltar.
Mas aí não cumprem mesmo.
Ora aí está! Aí aproveitamos e lixamo-los ainda mais. Depois compramos tudo ao desbarato.
Olharam para mim, que estava a olhar para eles à espera do destino e um deles disse em Português de camone:
É para o Terreira do Passo, sff.
E calaram-se o resto da viagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *