Lixo no forno

lixo no fornpo
Sim, leram bem, isto tecnicamente é, ou seria, lixo.
Daqui só a cebola e o azeite näo eram coisas que estavam a ponto de ser mandadas para o lixo:
– a cara de bacalhau, porque depois de retirados os filetöes o pessoal näo sabe o que fazer com o que sobra, e se ninguém compra vai pro lixo;
– os pimentos, porque já näo estavam lustrosos embora estivessem sem bicheza ou bolor, e se ninguém compra vai pro lixo.

Calhei a passar ao lado da banca e chamou-me a atenc,äo, por ser coisa que nunca vi pelas Finlândias. Referi-o à empregada… e acabei por o levar para casa à borla!
Mmm… que “lixo” delicioso! Obrigado ignorantes finlandeses por este pitéu!
Bacalhau a saber a pato!
Foi acompanhado de batatas assadas no micro-ondas, e para beber foi um Uvas Douradas tinto Bairrada DOC Reserva 2007.

Valdemiro, o Modesto

Se me der na mona, tomarei Kiev em 2 semanas“, disse o Valdemiro Pudim (TBC “cavalgador de tigres”) ao Barräo Duroso (TBC “cherne podre”)
Pudim avisa Barroso acerca da Ucrânia
A (des)UE, a mando do comando da OTAN, anda-se a armar aos cucos, e insiste em financiar em Kiev um governo golpista que inclui neonazis, que andam divertidos a matar civis no Leste da Ucrânia (ver Donbass), depois de o terem feito no Sul (ver Odessa), enquanto vai picanda a Rússia (a quem deve uns largos milhares de milhöes de euros do gás) para que esta intervenha militarmente… para assim arrastar a OTAN para o conflito.
Entretanto, a Rússia mostra paciência (a mais), e agora o seu presidente mandou o recado ao moço de recados de Bruxelas. Só que se conteve, que se com mil homens os fedralistas conseguem travar o exército ucraniano, entäo com um exército inteiro ele chega à praça Maidan numa semana, no máximo, mesmo parando para almoçar pelo caminho.

Com a sua habitual sagacidade, o Gorbinhas (TBC “mancha na tola”) já avisou as hostes.
Gorbachyov avisa da terrível mortandade na Europal
Ele é crítico do Pudim (e do seu Ursinho) no que respeita ao respeito pela democracia e direitos humano, mas sabe melhor do que ninguém o que se pode esperar do Ocidente… e da Rússia!

E agora pelo Gorbinhas: os EUA estäo a pagar com língua de palmo terem-no apeado para meter à frente da Rússia o imbecil bubadolas Yeltsin, e assim conseguir meter a Rússia num fedorento chinelo. Foram os anos de crise trazidos pelo esbulho permitido pelo “Ébrio-mor de Todas as Rússias” que fizeram eleger o Valdemiro Pudim.Gorby seminovo
Gorby, além de estar vivo, continua lúcido como em 1990 (mas mais rechonchudinho). Por isso convinha apeá-lo o mais depressa possível, antes que ele realizasse o seu sonho de transformar a falida e ineficiente União das Repúblicas Socialistas Soviéticas numa democrática e eficiente União das Repúblicas Soberanas Soviéticas, de cariz social-democrática à maneira nórdica. Por isso o PC o odeio tanto, mas isso é problema deles. Imaginem o que seria dessa URSS (ou só mesmo da Rússia, se tivesse havido na mesma separaçäo) neste momento. Com privatizaçöes suaves e aumentos de produtividade desde 1990 aos níveis só atingidos de 2000 em diante, e com um Estado Social forte, o Gorby estaria breve a celebrar 30 anos como o Salvador de Todas as Rússias, pelo menos.
Gorby velhoGanharia a Rússia mas também e principalmente ganharia o Mundo todo: os excessos da globalizaçäo e financeirizaçäo económica näo se fariam sentir desta maneira, haveria muito mais paz e sossego sem as guerras jugoslavas e fundamentalismos islâmicos, que o contra-ponto à palhaçada continuaria a existir.
Mas isso implicaria permitir à Rússia ter já em 2000 a força que detém agora, e a OTAN mantida onde estava, e isso era de evitar a todo o custo.
Agora amanhem-se, que o Pudim pode ser cínico e mau, mas é (muito) inteligente. E tem o rancor anti-ocidental do povo russo a apoiá-lo.

Tempos muito interessantes

Provavelmente a notícia mais importante deste início de século:
Russia e China anunciam que väo deixar de comerciar em dólares.
O silêncio mediático nos merdia ocidentais diz bem das possíveis consequências nefastas que isto terá para o “Ocidente civilizado”.
Näo dizer nada, näo vá o poväo perceber e começar a trocar dólares por algo mais valioso, tipo… areia!
queimar dólares, ao menos aquece
Veremos se näo vai haver uma invasäo da Rússia ou da China “para instalar uma democracia”. Nah, é muita areia para a camioNATO deles, iräo (…) primeiro a outros dos BRICS. Ou aos associados-BRICS.
Säo mais pequenos e mais facilmente “democratizáveis”.

Nós pagamos para eles. Até quando?

Reparem bem nestas duas notícias no DN do mesmo dia:

DN21Fev14Neste Diário de Notícias, duas noticiazinhas muito juntinhas. Será que foi de propósito?

Eles fojem com brutos ordenados e nós pagamos!
Isto é grotesco! Estão a gozar conosco!!

Eles a locupletar-se e nós a fazermos a austeridade.
Irra!

Que grande caso de Top-Porco!!

Portugueses sem cheta

Depósitos em queda: Portugueses retiram 305 milhões aos bancos
Digo eu, é natural, após 2,5 anos de austeridade as contas tem de se pagar na mesma, e o pessoal cada vez mais desempregado näo tem maneira de poupar, antes pelo contrário. Os poucos que tinham algum no banco retiram-no… para despesas correntes!
Mas parece que näo… atentem na explicaçäo alternativa, de fonte idónea, pois claro:

A queda é em parte explicada pela “concorrência” do Estado, queixam-se os bancos. Com a melhoria da remuneração em setembro, os Certificados de Aforro assistiram a um reforço das subscrições (atingiram os 157 milhões de euros) e a uma diminuição dos resgates (58 milhões), dando um saldo mensal de 99 milhões de euros. Em outubro, o Estado lançou ainda os Certificados do Tesouro Poupança Mais, um produto que os bancos alegam ser “concorrente” dos depósitos.

Malandröes do Estado! Toda a gente sabe que o Estado serve é para SAFAR os Bancos da falência, e näo para lhes fazer concorrência! Como se atrevem???

Da contra-intuitividade na economia

Quando se entra numa curva e o carro derrapa, o instinto é travar. Nada mais errado, porque na melhor das hipóteses o carro pára no meio da estrada, sujeitando-se a levar com quem venha de frente ou de trás. Aquando da derrapagem, o que se tem de fazer é tirar o pé do acelerador, contra-brecar, e acelerar.
Os pilotos de avião também aprendem que, entrando em perda de sustentação (stall), sendo que a reacçäo instintiva seria levantar o bico do aparelho, o que devem fazer primeiro é baixar-lhe o bico, diminuindo o ângulo de ataque e aumentando a velocidade; só assim se consegue ganhar controlo para entäo depois levantar o bico ao aparelho.

Com o combate à dívida pública (ainda mais em tempo de recessäo) estamos na mesma: cortar na despesa com salários até parece o ideal para começar o processo de diminuir a dívida pública, mas isso aumenta a dívida pública, ainda mais em tempo de recessäo; além de que cortar nos sectores da segurança social, educação e saúde é o equivalente a subir os impostos às famílias. Ahn? É que sem esse dinheiro na economia existe menos consumo, logo menos emprego, e mais subsídios de desemprego para pagar, logo só por aí aumenta a dívida pública .. além de que com menos consumo também hão menos impostos cobrados (sobre o consumo e sobre os lucros), logo näo se conseguem sequer pagar os juros sobre a dívida pública existente, aumentando-a. É o descalabro.

Derrapagem descontrolada
Gaspar depois de uma derrapagem,
enquanto seguia a caminho do Ministério

A cortar na despesa, que seja nas negociatas das PPPs e nos benefícios fiscais à banca e demais amigos, tipo os da SLN (Galilei), ex-donos do BPN . É que essas ainda näo foram pagas, e mesmo que fossem pagas nada garantiria que fossem investidos na economia real, antes pelo contrário. Isto seria o que faria um Governo realmente interessado em relançar a economia do País e diminuir a dívida pública.

Mas Passos & Gaspar nada entendem de carros, nem de aviões, nem da economia real. Nem estão interessados em relançar a economia portuguesa, nem lhes importa uma piroca que os portugueses estejam a morrer à fome.

Carta

Tomas Young, who was shot and paralyzed during an insurgent attack in Sadr City in 2004, five days into his first deployment, penned the letter from his Kansas City, Mo., home, where he’s under hospice care.

“I write this letter, my last letter, to you, Mr. Bush and Mr. Cheney,” Young wrote in the letter published on Truthdig.com. “I write not because I think you grasp the terrible human and moral consequences of your lies, manipulation and thirst for wealth and power. I write this letter because, before my own death, I want to make it clear that I, and hundreds of thousands of my fellow veterans, along with millions of my fellow citizens, along with hundreds of millions more in Iraq and the Middle East, know fully who you are and what you have done. You may evade justice but in our eyes you are each guilty of egregious war crimes, of plunder and, finally, of murder, including the murder of thousands of young Americans—my fellow veterans—whose future you stole.”

The german economy death march

O banco central alemão, o Bundesbank, referiu hoje que a Alemanha, a maior economia da Europa, tem tido um início de ano instável.

Segundo os últimos dados, o Produto Interno Bruto (PIB) alemão encolheu 0,6% no último trimestre de 2012 e, já em janeiro, as encomendas à indústria e as exportações caíram inesperadamente, representando um revés para as esperanças de uma rápida recuperação.

– – –

A cegueira de Merkel

Estupidez. Não há outra palavra para definir a última decisão dos ministros das Finanças da Zona Euro. Impor uma taxa sobre todos os depósitos existentes nos bancos com atividade no Chipre é a prova, se mais fossem precisas, de que a Europa está a ser liderada por uma política herdeira dos hábitos soviéticos: Angela Merkel.

É um caso de TOP-Porca!

Primeiro ponto: estamos a falar de todos os depósitos, mesmo os abaixo dos 100 mil euros. O que significa que a lei europeia que garante a totalidade dos depósitos até esse valor é – ou passou a ser – letra morta. A partir deste momento, do ponto de vista formal, ninguém pode mais confiar nas leis europeias;

A questão é a seguinte: ou se deixava cair os bancos e só eram salvos (por respeito à lei) os depósitos abaixo dos 100 mil euros, para o qual existe um fundo de garantia; ou então injetava-se dinheiro público nos bancos — como aconteceu em Espanha, na Irlanda e em Portugal.

Dizem-me: mas estão a fazer isto para apanhar os russos milionários que lavam dinheiro no sistema financeiro cipriota. Ah sim? Realmente, os russos milionários devem ter menos de 100 mil euros depositados…

Qual é o problema desta política gangster: há o risco de o pânico se espalhar aos países intervencionados. Ou seja, das pessoas, o comum dos mortais, pensar: vou tirar o meu dinheiro do banco porque isto nunca se sabe no que vai dar.

Mas há outro problema: a fuga de capitais. Se a corrida às contas bancárias é ruidosa e espetacular, a fuga de capitais é 100% silenciosa. Só aparece meses depois nos relatórios do Banco de Portugal. Ora bem, com esta decisão o que Angela Merkel fez foi dizer a quem tem dinheiro nos países intervencionados, ou em risco de o serem, que mais vale mandar o dinheiro para outro sítio mais seguro. Não sei porquê, vem-me à cabeça a Alemanha, mas devo ser eu que sou paranóico e que nunca iria lá pôr um chavo.

Mulheres…

… então a Procuradora Geral reuniu os quatro magistrados mais importantes, distribui-lhes pastas com os assuntos da reunião e falou, falou, falou…
Mais tarde processa a Candida por violação do segredo de justiça.
É que as pastas tinham conteúdos diferentes e só a da Candida é que surgiu na imprensa.
Quem sacaneou quem?

A Candida apresentou a demissão.

Morte ao défice

É a nova política do Governo: roubar os filhos daqueles que ainda recebem abono de família. O Japão já soube e vai adotar a política também, depois de ter copiado a política da morte aos velhos.

Quantos filhos se pode ter?

Liliana viu a polícia levar sete dos seus filhos. Está instalada a polémica porque lhe pediram para não ter mais.

in Público

———————————-

Ministro japonês diz que idosos doentes devem “morrer rapidamente” para o bem da economia

Os custos dos tratamentos que prolongam a vida a pessoas com doenças sem recuperação são desnecessários para a economia japonesa, defende Taro Aso.

ministro japonês

in Público

Pepa e a mala do cão Zico

O Zico matou um puto de 18 meses e foi condenado à morte. Em Portugal a pena para um cão assassino é a morte. Decretada pelo Tribunal.

Os malucos dos cães juntaram-se logo na net@ para pedir uma segunda oportunidade para o cão.

Uma segunda oportunidade? Segunda oportunidade para quê? Para matar mais depresa da próxima vez? Desta vez matou devagar? Segunda oportunidade para matar três ou quatro putos de uma vez, porque desta vez matou só um e isso é pouco? Segunda oportunidade para matar uma mista de putos e velhos que só atrapalham o desenvolvimento deste país? Uns recebem reforma e os outros têm escola de borla e as suas mães não pagam taxas moderadoras: só consomem, não produzem. Chamem o Zico!

A Pepa queria uma mala. Mas desta vez teve uma racha de inteligência: fez umamala de cão. De cão Zico. Matou dois problemas de uma vez só. Grande Pepa.

 Pepa Mala Zico