Morte ao défice

É a nova política do Governo: roubar os filhos daqueles que ainda recebem abono de família. O Japão já soube e vai adotar a política também, depois de ter copiado a política da morte aos velhos.

Quantos filhos se pode ter?

Liliana viu a polícia levar sete dos seus filhos. Está instalada a polémica porque lhe pediram para não ter mais.

in Público

———————————-

Ministro japonês diz que idosos doentes devem “morrer rapidamente” para o bem da economia

Os custos dos tratamentos que prolongam a vida a pessoas com doenças sem recuperação são desnecessários para a economia japonesa, defende Taro Aso.

ministro japonês

in Público

4 comentários em “Morte ao défice”

  1. E aqui fica uma troca de palavras sobre o assunto:

    Ah! Levaram-nas para as vacinar… atrás da orelha

    Pois, só pode ser. O Estado devia era preocupar-se em indemnizar crianças que teve à sua guarda e de que tão mal cuidou (as Casas Pias e outros filmes). Isso sim, em vez de “desajudar” quem precisa de ser ajudado. Até por razões económicas o Estado devia deixar as crianças com a família, porque sai muito mais barato ajudar a família do que ter crianças institucionalizadas, que é uma coisa que custa uma fortuna.
    Mais exactamente, custa ao Estado 700 euros por cada criança institucionalizada. Com o que custa ao Estado institucionalizar 2 dessas 10 crianças a família inteira podia viver principescamente….

    Não sei se custa apenas 700€. Há uns tempos ouvi um debate na rádio acerca desses valores e eram semelhantes à prestação do príncipe William no melhor colégio inglês

    Se calhar é por isso que existe uma vontade acrescida de tirar as crianças aos pais. Anda-se, anda-se, ainda se descobrem uns cromos na Segurança Social que se especializaram em “enviar” crianças para esses colégios que a alguém hão-de render bom dinheiro.
    Pois também li algures valores de 150 euros por dia para cuidar de delinquentes juvenis. Negócios da china. Ou antes, negócios que nem na china.

    http://criancasatortoeadireitos.wordpress.com/tag/jovens-institucionalizados

    “Cada jovem que tenha sido condenado por crimes a internamento num dos seis centros educativos (CE) geridos diretamente pela Direção-Geral de Reinserção Social (DGRS) custa 153 euros por dia ao Estado. Um custo 20 euros superior ao verificado nos que estão a ser geridos por entidades privadas. Segundo os valores apurados pelo DN, nos CE da Madeira e de Vila de Conde, cuja gestão foi entregue à União Meridianos, de origem espanhola, cada jovem custa por dia 133 euros.”

    Pois, aí tens. 5000€ por mês por jovem delinquente institucionalizado. Porque não colocar cada jovem delinquente num colégio privado no Reino Unido?

  2. Já não bastavam nas escolas, nas creches, nos infantários, todos entregues a privados depois de fechar os seus congéneres públicos que saiam mais baratos ao Erário Público (e aos pais), até neste aspecto se vê a voragem capitalista!
    Para ajudar os amigos que estäo à frente de IPSS a lucrar, os neoliberais tiram as crianças dos pais e entregam-lhas, e de caminho aumenta-se o défice do Estado! Brilhante!

    Que linda publicidade (pouco encapotada) essa no DN. Quanto deu a Uniäo Meridianos para a fazerem? Sai mais barato que no público, a sério? Tal como disseram das escolas e que já foi desmentido por factos (que é algo que os neoliberais, esses talibans do mercado, abominam, como aliás todos os talibans)??? Ou que a Uniäo Meridianos só aceita putos que não dão trabalho?

    Ver isto é sintoma de esquerdite? >:)
    Ou é só ver o que está à frente dos olhos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *