Filmes financiados pela Europa

O filme “As linhas de Wellington” começa bem.
Com intensidade e até há um crescendo dramático, com boas imagens

Depois perde-se.
Falta-lhe intriga, falta-lhe aventura.

O Wellington parece um maricôncio que só quer ser retratado por um pintor francês. Nada da férrea arte do comando e do galvanizar os homens que era seu apanágio, nada de estratégia e de ponderar opções face a dificuldades, nada da intriga política Whig que o parasitava .. Este filme faz dele um personagem nulo, com um argumento abaixo de nulo.

Em vez de uma batalha final, ou de uma aventura para resgatar uma donzela às mãos do inimigo, com uma perseguição, com um confronto, com um climax, temos um desabamento de pedras que matam um rapaz, que é enterrado e o filme termina.

O filme termina com um enterro.
Este filme merece um enterro
Este filme é um enterro.

Que tristeza, desbaratar assim uma ideia que podia ter sido tão boa.

Pior que este desbaratar só a crise do Euro, em que ignorantes esquartejam sem só nem piedade as economias em nome de uma cura miraculosa.

Não foi para isto que imigrei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *