O meu Blog é o mais antigo

O que me despertou a curiosidade foi um post do Macacos, que fazia referência à lista dos blogs mais antigos de Portugal.

Pois fiquem os meus leitores sabendo que, quando esses blogueiros surgiram, já o meu tinha os colhões descaídos.

Tenho estado a recolher informação dos primórdios do meu Jornal do Inacreditável, e já cheguei ao dia 27-MAI-1998, ou seja, um ano antes do primeiro post do eleito primeiro blog português.

Eis alguns dados que recolhi hoje:

  • Email de um leitor (27-MAI-1998) a elogiar o nosso trabalho na net. É assim quando se é um pioneiro: fomos uns incompreendidos. Aliás, os emails recebidos são tão gratificantes, que não posso deixar de os partilhar convosco: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8. (Como podem reparar, alguns leitores levaram-nos a sério e enviaram-nos histórias incríveis para publicarmos.)
  • Primeiro registo na WayBackMachine (29-ABR-1999), e única página (08-OUT-1999) que a WBM guardou desse jornal. Não há registos anteriores, pois não havia links nenhuns para o site. Nós limitávamo-nos a divulgá-lo entre os amigos. Foi um desses amigos que colocou um link, anos depois do início, e que produziu esta entrada. O mesmo aconteceu com o site de base (20-DEZ-1996), que existia desde Julho de 1996. (Ao premir os links, esperem, pois a WayBackMachine é lenta, mas sólida!) Nesta época, as páginas eram todas feitas por nós (os manos reis) à mão em Notepad.
  • Entradas na WayBackMachine, da 2ª edição do Jornal do Inacreditável (17-MAR-2004). Nesta altura, as mensagens já eram armazenadas numa base de dados. O programa foi todo feito por mim e aceitava posts dos leitores. Novamente, neste caso, não havia links para a página. Os links que produziram esta entrada na WayBackMachine terão sido colocados por um leitor.
  • A 3ª versão do Jornal do Inacreditável é a actual e, como terão verificado (pois tem o mesmo endereço da 2ª edição), ainda não tem entradas na WayBackMachine, apesar de haver umas dezenas de links a apontar para ele.

Pois é leitores – é incontornável – sou o bloguista mais antigo da net portuguesa.

No entanto, se a lista do Apedeites é uma coisa só para os amigos, então esqueçam que eu existo: não quero incomodar ninguém.

6 comentários em “O meu Blog é o mais antigo”

  1. Já lhe respondi no Apdeites e disse que iria investigar o assunto. Esclareci os critérios de selecção e de seriação da lista. O que é que pretende mais?
    Apesar da sua observação, grosseiramente insultuosa, sempre lhe digo que os critérios eram e são absolutamente claros:
    Critério 1. O seu blog nunca apareceu nas nossas listas, nem do nosso antecedente bloconotas.blogspot.com, nem sequer da primeira lista nominal de blogs nacionais, blogsempt.blogspot.com.
    Critério 2. O arquivo mais antigo que existe em Wayback Machine, de um blog que diz ser seu, é de Outubro de 1999. Portanto, quando muito, se alguma vez dele tivessemos tido conhecimento, este blog seria o 3º mais antigo.
    Critério 3. O “post” em Wayback Machine não está datado e não existe qualquer indicação do blog que lhe sucedeu. Nem, de resto, naquele que diz ser o sucessor, existe qualquer referência ao anterior.
    Critério 4. Seria humanamente impossível adivinhar que o seu blog actual era aquele outro, anteriormente .

    O seu blog actual não consta dos serviços blo.gs, blogshares, blogrolling e technorati, que são aqueles que servem de fonte para os nossos dados.
    Nenhum blog tem link para o seu, como se pode ver na Google ou em qualquer outro motor de busca. Os 6 únicos links existentes são de apenas dois sites, e não de qualquer blog.

    Estes são motivos mais do que suficientes, mesmo sabendo que a sua observação insultuosa e gratuita sobre o trabalho do Apdeites nos dispensaria de sequer responder, para não incluir o “Chornal do inacreditável” na lista de blogs portugueses mais antigos em actividade.

    Não voltaremos a perder tempo com este assunto. A sua inscrição como subscritor do Apdeites foi cancelada.

  2. Oh JPG, eu não pretendo nada. Sempre vivi bem sozinho. Não preciso de grupos para nada. Ainda bem que me excluíram do Apedeites: são menos chatices que eu tenho.

    Talvez seja por esses motivos que o que eu fiz na net desde 1996 não tenha visibilidade (quase) nenhuma. Exceptua-se a valiosa WayBackMachine.

    Sobre o Critério 1:

    Os blogs blogsempt.blogspot.com e bloconotas.blogspot.com tiveram (aparentemente) as datas de funcionamento de 25-JAN-2003 a 02-JUL-2003 e 18-NOV-2003 a 26-02-2004, respectivamente. Nessa altura já a 2ª edição do meu “Jornal do Inacreditável” navegava em velocidade de cruzeiro: primeiro post da 2ª ed. em 14-OUT-2002, registado pela WBM em 17-MAR-2004, pois antes não havia links que lhe permitissem chegar lá via crawl.

    Eu sempre fui avesso aos diários e um blog é um diário, logo “Isto não é um blog”. Mas não é isso que dizem os tipos que estão no topo da lista?
    No entanto estão no topo da lista e eu fui expulso antes de entrar.

    Mas uma coisa é eu ser grosseiro e outra coisa é a verdade histórica.

    Quanto à grosseria, ainda não percebi bem onde fui grosseiro: terão sido os colhões descaídos? duvido, isso não é grosseria é uma imagem, é literatura; ou foi o ter aventado que a lista era para os amigos? isso não é grosseria, é, antes, uma acusação, com ou sem fundamento, o tempo o dirá, mas que houve uma enorme diferença de tratamento entre mim e “O Coiso”, isso não há dúvida nenhuma.

    Relativamente à verdade histórica, embora eu não tenha necessidade nenhuma de figurar onde quer que seja, vocês podem sempre agir como o José Estaline, remover-me das fotos de família. Mas, JPG, não veja este comentário como mais uma grosseria, mas o facto de me ter removido do Apedeites tem, a meu ver, muitas semelhanças a uma estalinice em modo texto.

    De repente lembrei-me de um evento passado, muito semelhante a este. Um dia concorri para dar aulas no Instituto Politécnico de Setúbal. Fui a uma entrevista com o Professor Rogério Largo que tinha sido meu professor no IST em duas cadeiras. Estivémos a falar talvez meia-hora. Ele precisava de alguém a tempo inteiro para o ajudar naquela fase de instalação do curso e eu não queria ficar lá a tempo inteiro, sempre trabalhei em 5 ou 6 sítios a mesmo tempo e não queria ficar preso naquele buraco. A minha contra-proposta foi estar presente apenas 2 dias por semana e meia dúzia de horas de apoio para além das aulas.

    O resultado da entrevista foi publicado 2 dias depois. Eu era o único que figurava como não tendo habilitações para o cargo. Curioso, hein? Depois de meia-hora de conversa a tentarmos negociar uma posição… (Foi a solução que ele arranjou para poder colocar o gajo com mais habilitações fora do concurso.)
    Pode arranjar-se aqui uma solução semelhante: dizer que isto não é um blog! É uma solução airosa e ninguém fica chateado. Eu não me queixei do Rogério Largo ao Ministério da Educação, também não vou acusar ninguém de me empurrar para a ravina.

    Sobre o Critério 2:

    O WBM não faz milagres. Só regista documentos que consegue atingir. Só existindo links para esses docs é que ele lá chega. No meu caso, nem sei quem é que colocou um link para o Jornal, eu não fui. Talvez um aluno meu. Os sites que aparecem no topo da vossa lista são de indivíduos extremamente sociáveis, eu sempre fui avesso a essas merdas, mas uma coisa são as competências sociais de cada um, a capacidade de estabelecerem laços, redes, de se comportarem em sociedade, outra coisa é a verdade histórica.

    Estes meus desenvolvimentos sobre o tema começaram como uma simples curiosidade. Mas eu sou teimoso e vou levar isto até onde for possível.

    Sobre o Critério 3:

    Neste momento, a única prova irrefutável de que o Jornal existia é um link de 29-ABR-1999 e uma página registada em 08-OUT-1999 pela WBM. As outras que apresentei com base em emails, podem sempre desconfiar delas. Mas ficam AQUI (retirar extensão .txt) e AQUI os ficheiros do Netscape Mail (compatível com o Thunderbird) para, quem quiser fazer análise forense e chamar-me mentiroso, estar à vontade para o fazer. Como vêem, tenho alguns comentários aos meus posts, tão energéticos como o do JPG, o que é uma prova ligeira de que o estilo do “Jornal” se tem mantido ao longo destes 8-9 (?) anos (nem eu sei ainda quando começou o “Jornal”, mas vou saber). E como podem constatar, a data do primeiro desses comentários é Wed, 27 May 1998 06:10:02 PDT. Feel free to surf.

    Sobre o Critério 4:

    Como em todas as actividades humanas, “Em casa de ferreiro, espeto de pau”. O vosso site blogsempt.blogspot.com também não diz que continua em bloconotas.blogspot.com.

    Mas, já agora, explico o que se passou. Estive parado durante 6 meses, por culpa da FCCN. Cancelei o domínio netpub.pt, onde estava pendurado o “Jornal”, e fiquei à espera do domínio mediateca.pt, pois alterei o nome à empresa. Simultaneamente cancelei o contrato com a Telepac e estabeleci um contrato para uma linha dedicada com a KPNQwest. Uma coisa que deveria demorar 15 dias, foi arrastada pela FCCN durante 6 meses. Não me atribuíram o mediateca.pt na altura, porque diziam ser um nome de uso genérico, apesar do RNPC o ter aceite. Por isso, entre propostas e contra-propostas de novos nomes, só ao fim de 6 meses pude reiniciar a actividade na net e criar novos domínios. Com o cancelamento do domínio, desapareceu o “Jornal”, obviamente. O domínio netpub.pt era meu. Deixei de o pagar, morreu. Os domínios que o JPG usa não têm esse problema, só morrerão, eventualmente, com um 11 de Setembro mundial.

    Para finalizar, vou voltar ao tema do insulto. Na minha percepção, o que o JPG pode considerar um insulto é a hipótese que avento de a lista ser só para os amigos.
    Mas, depois de ler o que eu escrevi com atenção, é possível encontrar dois sentidos no texto:
    – É obviamente para amigos, no sentido em que é para pessoas que partilham uma actividade e comunicam essa actividade entre si, divulgam-na entre si e pela rede em geral. Ora, eu fico de fora, porque não alinho em grupos, e nesse sentido o meu comentário não é um insulto.
    – Mas há obviamente, também, um segundo sentido no meu comentário. No entanto, considero-o mais uma acusação do que um insulto. E justifiquei a minha acusação, só que o JPG não quis ler: eu disse e reafirmo que o site do Coiso tem a primeira entrada na WBM em 24-FEV-2001 e o Apdeites coloca-o como tendo tido início em 05-DEZ-2000. Eu sei que está lá uma página datada de 05-DEZ-2000, e também confio na idoneidade do Artur Santos, mas o que é que podemos usar como provas? A caixa de correio que publiquei uma linhas atrás também serve?

  3. Acabei de descobrir que o JPG usa o WordPress, tal como eu neste site, e por isso, ele recebe comentários meus sempre que eu coloco um link para ele num post meu.

    Foi isso que despoletou esta guerra de palavras, pois eu nunca me dirigi a ele directamente em termos menos respeitosos.

    Eis a mensagem que eu lhe enviei e que espero que ele leia, uma vez que, agora que está esclarecido o mal entendido, não há razão para mantermos as animosidades:

    _________________________________________________________

    Caro JPG,

    Houve um mal entendido e peço desculpa, apesar de não ter sido causado por mim.

    Das duas mensagens anteriores, eu apenas lhe enviei a primeira.

    Caso o JPG não saiba, o WordPress coloca posts automaticamente no site destino de um link, quando eu faço referência a outros sites que também usem WordPress.

    Portanto, o 2º comentário que tem neste seu post, foi enviado pelo meu WordPress quando coloquei um link para este sítio num post no meu site.

    Experimente e verifique a veracidade do que estou a dizer.

    Eu nunca me iria dirigir a si, directamente, daquela maneira. Aquele foi um post que eu coloquei no meu site que praticamente não tem visibilidade, tenho algumas dezenas de acessos por dia, apenas, e alguns deles são do Google crawler.

    Estranhei ter recebido um comentário seu (no meu site), tão agressivo, com expulsão e tudo.

    Estranhei até o JPG ter acedido ao meu site e deixado lá aquele comentário, uma vez que ninguém visita aquilo. Só depois, quando voltei aqui é que vi que o JPG tem o WordPress também. Assim, sempre que um de nós escreve qualquer coisa relacionada com este tema, o WordPress insere um comentário no post do outro. E portanto, o comentário que o JPG colocou aqui apareceu também no meu site.

    Peço desculpa, mas só agora me dei conta do problema e do respectivo impacto. Provavelmente já recebeu outros comentários meus, automáticos, que não lhe eram dirigidos: eram apenas posts ou comentários meus para consumo interno no meu site.

    Agradecia que me informasse que leu esta mensagem, pois tratou-se, claramente, de um mal entendido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *