Os sonhos dela

Todos os dias ao almoço, tínhamos que ouvir os sonhos dela. Que na noite anterior tinha dançado sem par, que um bebé se agarrara às suas pernas, que se tinha rido a noite toda às gargalhadas, que os seus cabelos antes azuis, brilhavam então encarnados.
Um dia, acordou do sonho e já não houve mais histórias para ninguém. 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *