Pézinho bíblico

Em 94, à beira do Mar Salgado, com o sol por detrás de Massada, e a neblina a levantar-se…

Um judeu ortodoxo, numa carrinha de sete lugares sobrecarregada de familiares, ficou atolado nas areias cristalizadas das margens do lago.

Deixei a Maria e o mais velho – na altura com cinco meses – e fui empurrar a carrinha, enquanto o homem, esguio, de tranças e chapéu chato, e preto como a restante roupa, acelerava.

Quando me viu saiu do carro e gritou, numa língua ininteligível, para me afastar, para deixar de ajudar.

Seria da minha pele escura, queimada do sol? Ou não queria ajuda nenhuma? Apenas ajuda divina?
Ignorei-o e obriguei-o a aceitar a minha presença. Entrou no carro e acabou por sair dali.

(fotos, quando tiver tempo para digitalizar todos aqueles rolos de diapositivos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *