O presente

A Maria foi à reunião de pais do João, no fim da primeira classe. Chegou tarde, pediu desculpa, e sentou-se. A professora Clara aproximou-se e pousou-lhe um embrulho, com um lacinho, na mesa. Disse-lhe: “É para si, mas não abra já”.
A Maria olhou para as outras mães, e constatou que elas não tinham presentes. “Porquê só para mim?” interrogou-se. Mas decidiu esperar pelo fim da reunião.

No fim da reunião, já as outras mães saíam da sala, abriu o embrulho, enquanto a professora Clara se aproximava. Eram talvez duas dúzias de pedras da calçada.
“Pedras?”, perguntou ela à professora.
“Sim, são as pedras que tirei dos bolsos do João, sempre que ele entrava na sala.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *