Emigrado

O Zé, meu amigo de longa data, ligou-me ontem à noite.

“Porreiro, pá? Podes dar um saltinho a Genève, esta noite, e levantar uns trocos que tenho lá no banco?”

“Assim tão em cima da hora?”

“Fui apanhado e preciso desse favorzinho. Podes ficar com 10% para ti. Esconde isso no colchão até isto passar, pá.”

E cá estou em Genève com duas malas cheias… 20 milhões. Alguém tem um colchão grande para esconder metade disto? Dão-se alvíssaras.

Um comentário em “Emigrado”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *