III Guerra Mundial ?

Avião malaio despenha-se com 295 pessoas na Ucrânia

Quem foi realmente? Seguem todas as hipóteses de que me lembro. Se se lembrarem de mais algumas, ajudem-me a perceber este imbróglio. Lista não ordenada:

  • Russos
  • Ucranianos
  • Separatistas
  • Oposição malaia (o avião era malaio, assim como o que caiu há 4 meses) que pagou a um dos 3 intervenientes anteriores para abater o avião
  • Airbus (o Boeing 777 300 que caiu agora, e no Índico[?] há 4 meses, é o avião comercial com mais autonomia [voou de Seattle {sede da Boeing} a Kuala Lumpur {curioso}], menos gastador de combustível, e por isso o maior concorrente da Airbus)

É o CAOS.

5 comentários em “III Guerra Mundial ?”

  1. Daqui, em primeira mão, toda a verdade sobre o caso do avião abatido:

    O governo ucraniano mandou encerrar o espaço aéreo até aos 9 mil pés. E manteve-o abertos acima de 9 mil pés. Os aviões estrangeiros passavam acima enquanto os aviões ucranianos bombardeavam.

    Naturalmente, os aviões ucranianos colocavam-se tão perto quanto possível ou na direcção dos aviões civis, para evitarem serem atacados. É uma técnica velha e que não é a primeira vez que está na origem de abate de aviões de passageiros. Aparentemente, os separatistas terão abatido um avião ucraniano na mesma zona minutos antes do avião malaio. A questão que se põe é saber o quão intencional foi a decisão de manter o espaço aéreo aberto com ataques aéreos a decorrer, ou o quão intencional foi o tiro num contexto tecnológico em que a decisão é cada vez mais automatizada.

    Passarão vários meses antes de as partes contarem esta versão da história. Até lá vai durar o “foste tu”.

  2. O ZéDu é que sabe!
    Ele falou com o Putin e sabe.
    A filha dele tem mãe de lá, é a Tatiana Kukanova
    Ele sabe.

  3. Quando ouvi a notícia de que os de Gaza estavam a disparar rockets sobre o aeroporto de Tel Aviv pensei logo que os aviões comerciais, carregados de civis, são aogora moeda de troca para todas as guerras. E vai passar a ser assim. Há grupos revolucionários financiados por milionários anónimos capazes disso. Por exemplo, o Califado no norte do Iraque, onde agora passam todas as rotas comerciais para o médio oriente. Ainda vai dar barraca.

  4. O caso dos foguetes no aeroporto de Tel-Aviv foi mesmo para o inutilizar e näo para mandar aviöes abaixo, que aquilo entra ali dinheiro com fartura. Estima-se que o rombo com o cancelamento de vöos seja de 40 milhöes de euros… por dia?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *