O Muro de Kiev

Entretanto, na Ucrânia, os EUA lutam contra o Putin que pretende kevantar o Muro de Kiev – um revivalismo do muro de Berlim – e uma abrir nova cortina de ferro para resuscitar o império soviético que o fascizóide do Gorbachev derrubou. E, neste momento, os comunistas portugueses fazem um exercício mental que a psicologia denomina de negação: não querem ver o Putin como um imperialista oriental equivalente ao Obama, e que pretende anexar os territórios perdidos na perestroika, para voltar a recriar a grande potência soviética, a Grande Mãe Rússia. Esse Putin que alimenta a guerra civil no oriente da Ucrânia, que fornece mísseis Stinger, anti-aéreas, granadas, Kalashnikovs, caixotes e caixotes de munições… Não, os comunistas portugueses acham que o povo tem estas coisas todas em casa, junto da farinha e dos ovos e que, às 11h da manhã fazem o almoço e, mais tarde, às 14h pegam num par de granadas e vão defender a pátria da invasão fascista.

Mas esse “fascismo” também é muito discutível. A única coisa que eu vi foi uma foto de um gajo com o braço direito no ar. E se ele estivesse a coçar os colhões? O que é que lhe chamavam? Tarado sexual?

Então e a Síria, onde os protagonistas são os mesmos? Rússia versus EUA. Quase um milhão de mortos e não tenho sentido a preocupação desses grandes defensores dos direitos humanos. Porquê? Porque a Síria não está no mapa soviético?

E, no entanto, morrem pessoas nas duas frentes. Inocentes. De ambos os lados da frente.

7 comentários em “O Muro de Kiev”

  1. A guerra é com a China. Isto é só para por as fábricas a rodar sem chamar muito a atenção.

  2. Tanto vinho anda-te a toldar o discernimento, ó Alex. Se foi só isso que viste, entäo viste pouco. Entäo estes gajos andam a coçá-los, é?
    http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/b/b9/Maidan_Kiev_2014-04-13_11-48.JPG
    Até a södona Nuland já o teve que admitir perante uma comissäo de inquérito do Congresso que säo neonazis.

    Se näo sabes quem foi Bandera, o herói desta gentalha, o que fez a sua UPA na II Guerra Mundial aos polacos e judeus do Leste da Ucrânia que controlavam, vai à procura. E de caminho lê o programa de governo do partido Svoboda, que detém 4 importantes ministérios. Neonazi é pouco.

    Mais: só do gás, a Ucrânia deve 3.500 milhöes de euros à Rússia. E isto a preços de amigo, que se fosse a preços de mercado seriam 60.000 milhöes. Querem o quê? Só me pergunto porque é que o Valdemiro Pudim näo o corta e ponto final. Ao fim e ao cabo, ao näo o fazer está a apoiar os neonazis da junta de Kiev!

    O Pudim quer anexar o quê? Fazias bem em deixar de ouvir os merdia ocidentais. Para tua informaçäo, aos anos que a Transdnístria e a Ossétia Meridional pediram para ser anexadas à Rússia, e que fez o Valdemiro? Pois é, NADA. O Valdemiro näo é santo, mas consegue ser mais democrata só numa unha que a junta de Kiev toda.
    E o problema também é esse.
    Os únicos democratas no fim disto tudo säo os ingénuos das Repúblicas de Donetsk e Lugansk, que näo querem os neonazis de Kiev nem os oligarcas de Moscovo. E por isso estäo a ser trucidados pelos primeiros e ignorados pelos segundos. Até um dia.

  3. http://www.veteranstoday.com/2014/05/05/kiev-and-right-sector-kristallnacht-odessa-extreme-graphics/

    Para que se saibe, eu vi com estes que a terra há-de comer o vídeo onde se vê o gajo a matar esta mulher grávida que grita desesperadamente por socorro, enquanto a multidäo exulta. Näo contente, o assassino ainda se pöe a gritar “já limpei a mäezinha”. Quem meteu o vídeo a circular? Um amigo dele do Sector da Direita.
    Há outros, tal como este https://www.youtube.com/watch?v=7zs2K2gwhHk

    Entretanto a comissäo parlamentar ucraniana que investiga a estória dos franco-atiradores na Maidan já ilibou o esquadräo de elite “Berkut”. Pimba.
    Porquê “estória”?
    porque já o Min. dos Neg. Estrangeiros da Estónia (NATO, anti-Rússia primários) disse há muito que os franco-atiradores eram da agora junta de Kiev.
    Mas ignorem tudo isto e repitam: é o Pudim o mafarrico e mauzäo que controla os anti-Kiev. Tanto que quando pediu para adiarem o referendo eles obedeceram… näo foi?

  4. Os EUA não me espanta que apoiem fascistas ou neonazis. Já fizeram tanta coisa parecida no passado…
    Mas a Europa, com tanta diversidade de visões, também embarca nessa onda?

    É óbvio que não vemos nada disso que apontas aqui deste lado, e eu preciso de ver para crer. E preciso de ter a certeza do que vejo.

    Embora o termo “fascismo” tenha uma conotação terrível, eu deixei de acreditar em ideologias. Ali (e cá também) só conta o poder. As ideologias são fait-divers. Dizemos que vivemos em democracia, mas somos escravos do poder económico. Não temos liberdade nenhuma.

    Eles são fascistas ou neonazis só para marcarem a diferença. Mas podiam também ser maoistas ou islamitas que era a mesma coisa.

    E esses crimes horríveis que linkaste, acontecem em todas as guerras. Não conheço nenhuma onde não tenha acontecido. A Convenção de Genebra não se aplica à Guerra.

  5. O facto de terem acontecido noutras guerras justificam-nos?
    Ou justifica o apoio (pouco) tácito dado por Bruxelas àquela gentalha?

    A diferença é que na Ucrânia eles näo são fascistas ou neonazis só para marcarem a diferença, säo-no por convicçäo: levantaram estátuas aos genocidas, e um dos fomentadores disso foi o actual primeiro-ministro.
    Ao mesmo tempo, e isso é ainda mais grave, andam a destruir monumentos às vítimas da II Guerra Mundial. Tudo com o beneplácito bruxeleiro.

    Um amigo disse-me que talvez a razäo disto estar a ser abafado nos merdia ocidentais säo as eleiçöes para o Parlamento Europeu, para näo dar ainda mais força à extrema-direita que as irá ganhar. Mas entäo eu pergunto: näo é mostrando o que fará a extrema-direita quando chegar ao poder que se lhe tira a força? Ou o objectivo é mesmo que a extrema-direita governe, porque desse modo é muito mais fácil implementar austeridades e o resto da ditadura do poder económico? Pois, deve ser isso…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *