Silly Wines

Chegados ao verão, a política parece a secção de palhaços do circo. Até os vinhos têm um sabor esquisito.

Chão das Rolas, Setúbal tinto 2011, 13,5% de álcool, Castelão, Aragonez, Trincadeira, Alicante Bouschet e Syrah. No primeiro impacto é adstringente e, por isso, gostei logo. Seco, mediamente doce, com alguma acidez. Muito bom.

Chão das Rolas, Setúbal tinto 2012, 13% de álcool, Castelão, Aragonez, Trincadeira, Alicante Bouschet e Syrah. Mais doce e menos áspero que o anterior, mas ainda assim um belo vinho.

Duorum, tinto Douro 2011, Colheita, 13,5% de álcool. Um vinho encorpado, denso, mas não em demasia. Um vinho estável e equilibrado. Uma grande pomada do Douro. (Duorum – do latim “de dois”, e os dois são o José Maria Soares Franco e o João Portugal Ramos – do Vale do Rio de Ouro)

Barricas, Lisboa tinto 2010 Reserva, 13,5% de álcool, Touriga Franca, Trincadeira, Syrah e Cabernet Sauvignon. O primeiro impacto é a madeira: fiquei logo desconsolado. Mas depois passa e já se consegue saborear a fruta. Passado um dia já está mais capaz de se beber, após os sabores voláteis da madeira terem perdido a força. É um vinho razoável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *