A noite e dia

Evel, Douro tinto 2011, 13,5% de álcool. Meio doce, com um toque de acidez: frutos do bosque, talvez. Mais um Evel standard.

Vinha Grande, tinto Douro 2008, 13,5% de álcool. Uma pomada com sabor seco e a fruta, e com um toque de madeira.

E isto foi o primeiro impacto quando os provei separadamente. Ambos bons vinhos com estilos diferentes, sabores diferentes, para momentos diferentes. Mas quando os bebi em conjunto, o Evel parecia demasiado enjoativo, demasiado doce após o Vinha Grande. E o Vinha Grande parecia que tinha sido envelhecido com resina e serradura americanas, quando bebido depois do Evel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *