O desemprego

O Estado desinvestiu no apoio à natalidade. Cada vez há mais velhos e reformados, cada vez há menos nascimentos e bebés. À primeira vista esta situação gera um problema social e financeiro grave: com o envelhecimento da população, as reformas vão ter um peso nas despesas do Estado que não consegue ser compensado pelos impostos aplicados sobre o trabalho pois, a longo prazo, sem nascimentos não haverá força de trabalho.

Uma solução para este problema pode ser delinear uma política para eliminar velhos: aumentar os custos dos medicamento e dos serviços de saúde; cortar o apoio aos serviços de transporte de doentes para os centros de saúde e hospitais; taxar as reformas; aumentar as rendas de casa e o IMI, de forma a expulsar os velhos das suas casas e deixá-los morrer ao relento; aumentar os impostos generalizadamente, de forma a que os filhos tenham que pedir ajuda financeira aos pais reformados, esgotando as suas poupanças, ficando estes mais vulneráveis às políticas de eliminação dos velhos.

Com a eliminação dos idosos, as despesas do Estado diminuem, não é necessária uma força de trabalho tão extensa, menos nascimentos deixam de ser problema, a taxa de desemprego diminui. É uma solução dolorosa, uma solução a longo prazo, mas o Governo acredita que funciona.

3 comentários em “O desemprego”

  1. Sempre disse que o mal do país eram os ca#@%es dos velhos! Teimam em não morrer e dá nisto. O aumento da esperança de vida tem de estar relacionado com o aumento da idade da reforma. A esperança de vida não devia ser mais de 65 anos, a menos que a idade da reforma aumente para os 82, caso em que a esperança de vida aumentaria para os mesmos 82. E quando se lá chegasse, pimba, injeção ou equivalente. R.I.P. e deixem-nos com qualidade de vida, seus sacanas inúteis.

  2. Se a reforma for aos 82, onde é que há emprego para os novos? Não há. Portanto, reforma aos 55 ou 60 e qualidade de vida “zero” para os reformados, expropriação das suas casas, exortados a viverem nas lixeiras municipais. Eis a solução que o PM Gaspar vai apresentar amanhã.

  3. Tontos!!
    TSU nas máquinas mutibanco, nas máquinas que vendem cocacolas, nas máquyinas que cobram e que desempregaram alguém.

    Reequilibram-se logo as contas.

    Se uma máquina manda alguém para o desemprego, tem que lhe pagar o desemprego!

    Para não sermos Luditas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *