Melhor atriz estrangeira

Erica Fontes conquistou esta semana o prémio de melhor artista internacional do ano, nos prémios XBIZ. O evento já se realiza desde 2003 e Erica foi a primeira portuguesa a conquistar um galardão.

Erica Fontes, 21 anos, é a melhor actriz porno estrangeira
Erica Fontes

“Ganhar este prémio é um grande orgulho e dá-me muita força para continuar a trabalhar com ainda mais vontade”

“For me to win the 2013 XBIZ Foreign Female Performer of the Year gives me great pride and enormous strength to continue to work even harder”

From Dusk Till Dawn

From Dusk till Dawn is a 1996 horror crime action thriller film written by Quentin Tarantino and directed by Robert Rodriguez. The movie stars Harvey Keitel, George Clooney, Quentin Tarantino and Juliette Lewis.

Passou há uns dias na TV. Fantástico. Com o Tarantino, G. Clooney, Harvey Keytel, Salma Hayek, Daniel Trejo, e por aí fora… Parecei Tarantino e por outro lado não. (É um filme antigo mas nunca o tinha visto.) Mas de qualquer forma era fantástico.

No fim fui à net@ e descobri que o Tarantino escreveu, mas o Robert Rodriguez (o tal do El Mariachi) é que realizou. E aqui fica um cheirinho…

E o trailer…

Brazil

Ontem, na última tertúlia do Mundial de Futebol, com a TV na sala ao lado e com os (verdadeiros) homens a comer caracóis e a beber cerveja (nem sequer soubémos quem ganhou), disseram-me que o Brazil tinha sido editado em português.

Aaaaahhhhhhh…..

Assim que a tertúlia morreu – depois de mais um porco assado e várias dezenas de litros de vinho – fui à Grande Loja Maçónica do Deserto e comprei o filme para rever na Soirée de minha casa.

Aaaaahhhhhhh…..

Fantástico. Sempre fantástico. Absolutamente fantástico.

kim greist
A fabulosa Kim Greist no sonho final do Brazil

Mais um vício para juntar aos mergulhos diários no tanque das rãs e ao dormir pouquíssimo todas as noites…

Parte-braços e Pee Wee

Ontem vi um filme novo (pelo menos para mim) do Steven Segal. O gajo está cada vez mais gordo, cada vez mexe-se menos e cada vez é mais mau. Bate em toda a gente, mata os restantes e não paga por isso.

O Pee Wee é dos primeiros filmes do Tim Burton, nota-se uma ingenuidade no ambiente – para além da infantilidade do Pee Wee – que é uma clara imaturidade da direcção de filmagem. Mas o filme é fantástico é uma excelente peça de riso enlatado. Depois de uns primeiros 5 minutos de estranheza pela ridículo, estive duas horas a rir sem parar.

Show me the way

Depois destas dissertações todas sobre o futuro da economia portuguesa e da europa, que me inspiraram na noite passada, e depois de ter recebido uma série de comentários de tipos indignados e que não acreditam que o caminho vai no sentido que eu apontei, fico à espera de outras dissertações tão consistentes como a minha, mas que nos deixem mais descansados. Eu sou um gajo porreiro e dou o mote. São três as causas possíveis de instabilidade que podem alterar o curso da história tal como a vejo e descrevi ontem:

  • O preço do petróleo – pode atrapalhar os planos de crescimento da China, mas também nos vai causar problemas e as energias alternativas tanto funcionam cá como lá.
  • China desagrega-se – acompanhada de convulsões internas que deitam por terra todos os planos do grande arquitecto oriental
  • Uma guerra localizada e persistente – instigada por uma daquelas milícias americanas de defesa da qualidade de vida ocidental e dos bons costumes do tipo: nós cá todos bem, vocês aí todos mal

Estão lançados os motes, por isso agora, show me the way

ou como dizia o outro, que é quase o mesmo neste caso, show me the money

Children of Men

70 mil grávidas aconselhadas a vacinar-se contra a gripe A

E foi assim que começou a infertilidade da espécie humana. Um dia, as mulheres nunca mais conseguiram engravidar. Um dia, as mulheres nunca mais conseguiram ter filhos…

E para quem viu o filme (que é de 2006, passado no futuro em 2027), até há uma curiosa referência à pandemia (fictícia) de 2008… Curiosa coincidência.

A ver vamos… Eu estou cá para ajudar a fertilizá-las.