O roubo

O maior roubo de sempre está em preparação nos USA. Nos USA claro! Onde mais poderia ser?
Vejam-se os pormenores picantes:

A tentação de EVA
A tentação de EVA

Está à espera de luz verde do senado americano. Diz o seguinte:

Decisions by the Secretary pursuant to the authority of this Act are non-reviewable and committed to agency discretion, and may not be reviewed by any court of law or any administrative agency.

Por outra palavras: Antes que esta administração acabe, locupletamo-nos com 700.000 milhões de dólares, com total poder discrecionário, ficando acima dos tribunais.

Isto é roubo!! Puro e simples. Descarado!!
Este Bush é o maior pintas que a musgueira do texas já produziu.

PS: Vale tudo: Student, car and credit card debt quietly added to bailout plan.
In the dark of night over the weekend when most people were snoozing, the Treasury dramatically expanded its bailout plan to include buying student loans, car loans, credit card debt and any other “troubled” assets held by banks.

Será isto um caso de Top-Pig?

Tenho dúvidas

A crise financeira que paga milhões aos gestores despedidos. Estão a gozar conosco, só pode!
E que tal se toda a gente se atrasasse a pagar a prestação da casa? Digamos só uma semana. Era ver o Trichet aos pinotes! he eh eh…
Os bancos só não nos temem porque estamos desorganizados, descoordenados, indiferentes, adormecidos, embrutecidos, hipnotizados. A tele( novela, futebol, jornal, …) é o ópio do povo.
– – –
E que tal uns brasileiros das favelas para pagarem com as culpas !!?
Isso é que era um golpe do caraças. Eles ficam com a culpa, e nós pagamos para os mesmos.
Ooops, parece que alguém já teve a mesma idéia.
Será um caso para top xenoporco?

Moqtada Al-Sadr

Um dos fenómenos mágicos do pluralismo informativo que nos governa é o “clérigo xiita radical Moqtada Al-Sadr”. O fenómeno não é o homem mas a maneira como é tratado. É tratado sempre com o prefixo. Como se o prefixo fosse obrigatório.

Por exemplo, quando se referem a mim as pessoas oscilam entre dizer aquele gajo bué inteligente, aquele gajo bué simpático, aquele gajo bué sexy, ou outra coisa qualquer parecida. Já o Mokata não. O Mokata consegue aquela espantosa unanimidade que é a de ser designado com o mesmo “prefixo” sempre que o seu nome é invocado.

Não se pense que isso é fácil. Por uma questão de liberdade jornalística, de liberdade de redacção, seria de esperar que nem sempre se referissem a ele da mesma maneira. Até pela intelectualite habitual de quem escreve seria de esperar que procurassem variar o vocabulário, a forma de se exprimir. Mas quanto ao Mokata, não.

Um indivíduo qualquer, de bom ou mau carácter, qualquer que ele seja, é tratado nos media com uma grande diversidade de adjectivos. Uma enorme diversidade de adjectivos. O Mokata é o único a conseguir ser tratado sempre da mesma forma. Se calhar paga para isso. Ou, pelo menos, alguém deve pagar. É o pluralismo informativo que temos.

ver:
dn
publico
expresso
correiodamanha
rtp
cnn
bbc
mondediplo

só pode ser um “erro informático”

“…porque havia algum stock em circulação…” Galp dixit.

Além disso, até adiantam que “cumpriu, como sempre o fez, a legislação em vigor, tendo reduzido o IVA de 21% para 20% em todos os produtos que comercializa de acordo com as especificidades da lei vigente”. Claro. Lá reduzir o IVA, reduziram, de 21 para 20. Mas onde é que está o preço base???

nota: fatura antes e depois….

é preciso ter descaramento…. mas isso não falta, mesmo a estas empresas! Por isso é que os “Honórios” deste povo não devem deixar de falar.

“o Governo já deu orientações às entidades de fiscalização económica para estarem atentas aos comportamentos das empresas para assegurar que a redução do IVA tenha a devida repercussão”, ministro dixit… vamos ver a ASAE a controlar as facturas em vez das farturas…

top porco #2 … ou notícias de um povo “entretido”

O Ministério Público pretende que Hugo Marçal seja condenado por 36 crimes: 22 de lenocínio e 14 de abusos sexuais de menores (respeitantes a um único menor) –esta é a notícia que tem andado a entreter (de vez em quando) o povão.

No entanto, Hugo Manuel Santos Marçal está em vias de ser admitido a frequentar o curso de auditor de justiça do Centro de Estudos Judiciários. O nome do arguido no processo de pedofilia da Casa Pia surge na página 4961 do Diário da República, 2.ª série, com o número 802, na lista de centenas candidatos a ingressar no CEJ, e frequentar a escola que forma os juízes portugueses.

Mas ao contrário dos outros, Hugo Marçal não vai prestar provas … pelo facto de ser doutor em Direito – grau académico que terá obtido em Espanha – está por lei «isento da fase escrita e oral» e tem ainda «preferência sobre os restantes candidatos». Resultado: o advogado de Elvas está na prática à beira de ser seleccionado para o curso que formará a próxima geração de magistrados!

Claro que estão a ver mais um “esperto” da nossa praça … se concluir o curso com proveitamento e iniciar uma carreira nos tribunais – primeiro como auditor de justiça, depois como juiz de direito -, e contando com a velocidade espantosa da nossa justice, Marçal terá também o privilégio de não ser julgado num tribunal de primeira instância.

Digam lá que não é lindo este país …

Top Porco #2

Esta é uma das muitas manifestações do processo alquímico deste chornal. Objecto de reconhecimento desde os seus primeiros momentos, o Top Porco tropeçou no seu próprio sucesso. Na verdade, não estava preparado para responder às expectativas dos leitores. Os leitores exigiram o seu regresso na semana seguinte, mas ele simplesmente não estava preparado. A natureza meditativa convive mal com o sucesso. A criatividade convive mal com a obrigação de uma produção regular. A definição – identidade e limites – convive mal com o crescimento. O Top Porco estava condenado a falhar na segunda semana.

O Top Porco resulta de uma profunda meditação sobre a natureza da acção humana. Integra factos outrora dispersos, abrigando-os sob uma mesma janela interpretativa. Só o génio permite produzir um instrumento capaz de integrar numa mesma escala de medida acções até hoje vistas como díspares. São décadas de observação participante a produzir finalmente os seus resultados. Nesse sentido, o Top Porco é uma espécie de teoria da relatividade generalizada, talvez mesmo uma espécie de teoria do campo único, só que um pouco melhor.

E o futuro? Segundo o nosso amigo astrólogo Li Po, o primeiro astrólogo na internet em Portugal, o porco é um animal fiel e portador de boa sorte. Ler o Top Porco é pois de bom augúrio, ou seja, ler o Top Porco traz boa sorte. A todos nós.

P.S.: Até ver, o Top Porco assume-se como uma rubrica semanal de regularidade irregular, ou seja, surge semanalmente, nas semanas em que estiver para aí virado.

ou há moral… ou pagam todos… ou o gajo que vem a seguir que pague

mais uma pérola do nosso oceano de merdapérola:

EDP –dívidas incobráveis da electricidade vão passar a ser pagos por todos os consumidores.

Até agora, EDP tinha de assumir a totalidade dos custos com as dívidas incobráveis. Mas a proposta da ERSE (Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos) para o próximo período regulatório de 2009/11 prevê que os encargos com esses compromissos passem a ser partilhados com os consumidores de electricidade a partir do próximo ano, nas tarifas de electricidade. As previsões para este ano, apontam para um montante de incobráveis de 13,6 milhões de euros, mais 9% do que no ano passado (12,5 milhões de euros). Se metade do valor for transferido para os cerca de seis milhões de consumidores de electricidade no próximo ano, o acréscimo na factura anual seria pouco superior a 1 euro (1,13 euros).

Claro que quando pagamos um produto, para além dos custos “lógicos” (salários, despesas com matérias primas e equipamento, etc.) também lá estão incluídos custos com ineficiencias ou imponderáveis tais como… clientes que não pagam, roubos de clientes. E não me parece que a EDP não tenha até agora incorporado estas situações nas estrutura de custos da empresa. Mas por outro lado, quando há lucros …. e Srs., se são muitos os lucros desta empresa semi-estatal, apenas são divididos pelos accionistas e pelos já chorudos honorários dos gestores. Agora ainda nos querem ir mais ao bolso?!?!?

Não falando na (i)legalidade da coisa (que a existir eu acho imoral), isto é claramente um incentivo aos incompridores, para que é que eu vou pagar se alguém vai pagar por mim?

Se isto pega moda, adivinhem o que se vai passar nas gasolineiras quando quiserem começar a fazer o mesmo com o saldo do tipo que abasteceu e fugiu sem pagar?! E nos hipermercados? E nos restaurantes? Estão a ver a malta a pedir umas garrafitas “no sítio do costume” e a pedir para pôr na conta do vizinho do lado?!

Entretanto a entidade reguladora está a fazer uma consulta pública (que encerra em meados de Julho) e em função dos resultados desta consulta será tomada uma decisão. Esta consulta não está a ser devidamente divulgada nem foi publicitada pela EDP, pelo menos que eu saiba. A DECO tem protestado, mas o processo é irreversível e o resultado desta consulta irá definir se a dívida é não paga pelos clientes da EDP.

Há que agir rapidamente. Basta enviar um email com a nossa opinião (que também pode ser feito por fax ou carta mas não tenho os elementos). Para bem de todos nós cumpridores, copiem o texto ou mandem uma missiva esclarecedora da vossa posição, e, acima de tudo, divulguem o mais possível,

Enviar para: consultapublica@erse.pt

Exmos Senhores:

Pelo presente e na qualidade de cidadão e de cliente da EDP, num Estado que se pretende de Direito, venho manifestar e comunicar a Vªs Exªs a minha discordância, oposição e mesmo indignação relativamente à “proposta” – que considero absolutamente ilegal e inconstitucional – de colocar os cidadãos cumpridores e regulares pagadores a terem que suportar também o valor das dívidas para com a EDP por parte dos incumpridores.

A manter-se esta pretensão equacionarei, seriamente, tornar-me parte da lista dos tais clientes incumpridores – afinal haverá quem a pague por mim!

Com os melhores cumprimentos,

Teorias da conspiração

Então, e o antrax?
Da al-Qaeda parece que não foi. Então quem foi? Tinha que ter laboratórios, capital, cientistas, organização, agentes para operações dissimuladas…
Tudo coisas fáceis de obter…
Hmmm, uma teoriazita da conspiração vem mesmo a calhar.
– – –
Afinal, já há muito tempo que muita coisa está planeada. Planos Mundiais

Hebrew land? Lol
O que ainda não está alinhado: O Irão
“Iran, you’re next!”
O petróleo já sabe.

Top Porco #1

Vamos então ao Top Porco desta semana.

1.º Dois agrupamentos de escolas da região do Ribatejo”
Motivo do prémio: Não podendo cobrar matrículas, por ser contra a lei, optam por cobrar no acto de matrícula o que designam por “donativos”.
Comentário: Faz lembrar as contribuições voluntárias dos comerciantes em Itália, para uma organização de que não me lembro o nome, ou as contribuições voluntárias para os arrumadores de automóveis.
fonte: publico
2.º EDP
Motivo: A sua extraordinária decisão de repartir pelos consumidores que pagam as dívidas dos que não pagam.
Comentário: Será que isto inclui pôr o consumidor doméstico a pagar as dívidas de autarquias e de organismos do estado? Se for esse o caso então merecem ser promovidos para number one do top porco.

3.º José Sousa
Motivo: Apanhado a fumar às escondidas num avião após a sua furiosa campanha anti-tabágica.
Comentário: E porque é que eu não fiquei surpreendido?
4.º Autarquias diversas
Motivo: Perante a obrigatoriedade de terminar com a taxa de contador da água inventaram uma nova taxa a que resolveram chamar taxa de disponibilidade
fonte: iol
5.º DECO
Motivo: uma organização de defesa dos consumidores que deu um parecer favorável à decisão da EDP acima referida.
fonte: iol

Para a semana há mais…
notícias de uma pocilga perto de si!

Top Porco #0

Este é o número zero do Top Porco. É pois a apresentação do Top Porco, o momento de dizer ao que viemos. Todos já ouvimos alguém dizer a frase “és muita porco” ou, alternativamente, “dasse, és mesmo porco”. Todos nos lembramos das situações em que isso acontecia na infância: quando alguém comia um macaco, quando alguém mandava uma “daquelas” escarretas com acompanhamento musical, quando alguém coçava o cú e depois ia fazer sandes para os amigos ou, não menos importante, quando alguém fazia um penalti que depois dizia que não era. Na adolescência normalmente já resta pouco desta vontade de ser porco. Um arroto aqui e ali é o máximo que as gajas nos permitem, sem a consequente excomunhão e pena de passar o resto da vida agarrado à mão esquerda. Assim termina em muitos de nós, com pouca glória, esta capacidade de enojar o próximo.

Qual é então a nossa intenção com o Top Porco (copirraited)? A missão institucional do Top Porco é dar o devido destaque às coisas que, merecidamente ou não, continuam a despertar comentários como “porco(s)(a)(as)”, “ganda(s) porco(s)(a)(as)”,”, “mesmo porco(s)(a)(as)”,”, “que porco(s)(a)(as)”,”, “bué da porco(s)(a)(as)” e similares. Não se pretende aqui exprimir opiniões sobre pessoas ou instituições. Pretende-se apenas indicar os actos que, na nossa humilde e nem sempre bem informada opinião, nos parecem merecedores de um destaque no Top Porco.

P.S.: Aos nossos leitores solicita-se a colaboração, ou seja, informem-nos sempre que encontrarem uma coisa digna de vir para o Top Porco. Basta que indiquem nos comentários a vossa proposta para o Top Porco, de preferência com o link para a coisa.
Toca a escrever seus gandas bácoros!!