Ficção científica

Hermann Goering (centre) was Adolf Hitler's second-in-command.
Hermann Goering (centre) was Adolf Hitler’s second-in-command.

Numa das minhas viagens, fiz de cartomante para ganhar a vida, quando vim da Índia pela Alemanha. Lembro-me bem daquele gordo. Era verão.

Queria saber que adivinho é que os Ingleses usavam, pois sabiam sempre onde ia atacar, e estavam à espera dos aviões dele.
Disse-lhe: “Eles usam radiação electromagnética de forma controlada. Detectam as perturbações provocadas pelos aviões em voo. Não usam bruxo nenhum.”
Berrou comigo: “Isso pode lá ser. Isso é ficção científica. Isso não existe! Quero saber que bruxaria é que eles fazem para saberem sempre onde vou atacar!!!”

Aquele Agosto de 1940  não lhe estava a correr nada bem…

Viagens

Nas minhas viagens tenho visto muita coisa.
A última que vi  é absolutamente inacreditável.

No alentejo profundo, uns maduros susbtituiram o electrólito a uns condensadores electrolíticos, e os Rx residuais provocados pela electroestricção deixaram de ser residuais, aumentaram de forma medonha.

Ora acontece que esse novo electrólito é rico em hidrogénio, e não só. Como os  fotões produzidos são extremamente energéticos, provocam reacções nucleares, e acontece fusão espontânea, a frio.  As nuvens electrónicas de valência são desfeitas de tal forma que induzem o aparecimento de cargas nas armaduras. Essa polarização das armaduras induz electroestricção. O processo alimenta-se a ele próprio. A energia provém da fusão nuclear a frio.

Além disso, as tais cargas que se acumulam nas armaduras dos condensadores, podem gerar correntes úteis.

Os tais maduros têm aquilo a operar numa bancada lá numa cave no quintal de um deles. O motor eléctrico de 5W já gira há meses. A bateria de condensadores estás sempre quentinha, entre os 48 e os 55 graus. Eles estimam que o rendimento da operação é abaixo dos um por cento, ou seja, que só conseguem aproveitar menos de um por cento da energia produzida pela fusão. Mas estão-se nas tintas, pelo gozo que aquilo dá.

Mas eles não gostam muito de descer àquela cave, no extremo do quintal. Dizem que é apanhar um banho de Rx.

Ele há cada coisa…

Piratas do Índico

Sob o meu comando, Portugal vai combater mais uns piratas somalis. Os nossos preferidos são os piratas com uma perna de pau e uma pála no olho.

Foi-me atribuído o cargo de comandante da frota (duas traineiras e um bote a remos), porque já conheço aquelas paragens desde o século XVI. É bom reviver o passado.

As caravelas de então eram bem melhores, mas enfim.

Escutas

Ao que parece andam aí uns fulanos a escutar outros, para ganhar umas massas nuns concursos púbicos.
Se o concurso é púbico, onde é que eles encostam a orelha?

Cá para mim, vai aparecer um escrotinador a dizer: Eu encostava-lhe era outra coisa!

De qq forma, Belém e S. Bento estão de acordo: É preciso acabar com as escutas, especialmente encomendadas por particulares. Senão fica tudo metido em camisas de onze varas…
Tadinho do Eng. da Câmara do Porto. Foi escutado pelo Rui Rio, e depois pela Judite. Sinas…

Olá

Cá estou eu. Acabei de voltar a Almada. Depois dou mais pormenores. O interessante é que vi uma ambulância tombada na ponte. Apanhou vento por baixo. Ia vazia.
Não foi hoje, mas ficou um belo estardalhaço
Hoje foi o Benfica que mamou dois secos.
Teve de voltar de ambulância.