Caça às bruxas

MP pede 22 anos de prisão para acusado de mais de 7.200 crimes sexuais de menores

O Ministério Público (MP) pediu 22 anos de prisão para o homem acusado de mais de 7.200 crimes de abuso sexual de crianças e de mais de 156 mil crimes de pornografia, disse fonte judicial.

Como é que é isto possível? 7200 abusos?
Ou o homem merece o guiness, ou o que é um abuso é quase tudo.

E que tal os 156 mil crimes de pornografia?
A um por minuto, seriam precisas 2600 horas.
Como o dia de trabalho tem oito horas seriam precisos 14 meses de trabalho sem interrupções nem descansos.

Isto dos criminosos sexuais têm cá uma produtividade….

Basta um, 1, UM , ONE crime para condenar.
Este excesso de crimes mediáticos faz mal à credibilidade da justiça, mas engorda os jornais.

Isto é absolutamente INACREDITÁVEL!!
– –
A industrialização do pecado:
Cada crime é pelo menos um pecado.
Este homem é um verdadeiro pecador!!
Ao pé dele um hereje é um pecador menor.
Quem diz hereje diz bruxa.

Este homem irá para a fogueira?
Em breve…. se isso vender jornais e der audiências.

Simbolismos

… e eis senão quando o cabalista numismático, prior do heráldico, douto na velha arte do simbólico transcendente, me confidenciou:
“A crise, a crise! Portugal tem a melhor defesa contra os demónios do Euro.
Basta olhar para as moedas!
A defesa da nação está garantida pelos escudos quinais e pelas inexpugnáveis linhas de torres. Os pentagramas vermelhos, brancos, amarelos, vírus destruidores da harmonia telúrica e usurpadores do planeta, ficam de fora. Ao centro, a nossa preciosa herança comum, o DNA ancestral, eterna fonte de esperança, fado do destino cosmogónico, resiste e triunfa. Basta que cada um faça o seu trabalho. Os tempos são díficeis mas a esperança é inquebrável.”

Estupefacto, olhei para o porta moedas…
Ele há cada coisa…

Castelos e quinas a defender
Inexpugnáveis são as linhas de torres
Dois euros portugueses
Os pentagramas ficam de fora
O centro é sereno
Muitas são as ameaças

Eduquês

A educação está pejada de teorias pseudo científicas, sem base experimental.
Apenas com base num qualquer profeta da moda.
Vejamos alguns exemplos:

Para Almouloud que se apoia nos trabalhos de Guy Brousseau:
O erro seria a expressão ou manifestação explícita de um conjunto de
concepções espontâneas ou reconstruídas integradas numa rede coerente de
representações cognitivas, que se torna um obstáculo à aquisição e dominação
de um conceito. A superação seria o projeto de ensino e o erro a passagem
operatória. (1997, pág.38).

Outro exemplo:

Conforme Cury (1995, p. 9):
Se estivermos interessados no processo de aprendizagem da Matemática o erro
pode ser visto como instrumento de identificação dos problemas do currículo e
da metodologia, e, ao resolvê-los, os erros serão eliminados; se, no entanto,
queremos explorar o erro, esse pode constituir-se em instrumento para a
compreensão dos processos cognitivos.

E mais outro:

A análise das respostas dos alunos fundamentou-se na Teoria Antropológica do Didático
(TAD) de Chevallard (1999).
Segundo Chevallard:
Ao redor de um tipo de tarefa Τ, se encontra em princípio, um trio formado por
uma técnica (uma pelo menos), τ, por uma tecnologia, θ e por uma teoria, Θ.
No total indicado por [Τ , τ , θ , Θ ], constituindo uma praxeologia pontual,
onde este último qualificativo significa que se trata de uma praxeologia relativa
a um único tipo de tarefa, Τ. Tal praxeologia ou organização praxeológica está
constituída por um bloco prático–técnico [Τ / τ ] e por um bloco tecnológico
[θ / Θ]. (CHEVALLARD, 1999, p. 6).

E andamos nós a confiar a educação das nossas crianças a estes charlatães.

FootBasket

FootBasket no Entroncamento
No Entroncamento joga-se bola ao cesto com os pés.

Na vila portuguesa do Entroncamento está a fazer furor uma nova modalidade desportiva: O Footbasket.
Os praticantes usam-na para chutar com força no esférico e eesquecer as agruras da vida e do IRS.
Parece que a Troika quer que o municípo registe a patente e a revenda globalmente.
O nosso reporter fez uma entrevista inacreditável ao presidente da Junta que nos garantiu que o FootBasket é património livre da humanidade, e que não vai ser objecto de patente ou de qualquer outro processo de licenciamento.

Filmes financiados pela Europa

O filme “As linhas de Wellington” começa bem.
Com intensidade e até há um crescendo dramático, com boas imagens

Depois perde-se.
Falta-lhe intriga, falta-lhe aventura.

O Wellington parece um maricôncio que só quer ser retratado por um pintor francês. Nada da férrea arte do comando e do galvanizar os homens que era seu apanágio, nada de estratégia e de ponderar opções face a dificuldades, nada da intriga política Whig que o parasitava .. Este filme faz dele um personagem nulo, com um argumento abaixo de nulo.

Em vez de uma batalha final, ou de uma aventura para resgatar uma donzela às mãos do inimigo, com uma perseguição, com um confronto, com um climax, temos um desabamento de pedras que matam um rapaz, que é enterrado e o filme termina.

O filme termina com um enterro.
Este filme merece um enterro
Este filme é um enterro.

Que tristeza, desbaratar assim uma ideia que podia ter sido tão boa.

Pior que este desbaratar só a crise do Euro, em que ignorantes esquartejam sem só nem piedade as economias em nome de uma cura miraculosa.

Não foi para isto que imigrei.

Dinheiro queimado

Troços de AE com TMD > 10.000 veículos (2010)Esta era a situação do tráfego nas AEs portuguesas em 2010, i.e. antes das troykalhadas (fonte: INIR):
O INIR declarava que 40% das AEs tinham tráfego médio diário abaixo dos 10.000 veículos, que por mero acaso é o critério internacional para criar uma AE.
Aliás, suspeito que a situaçäo fosse a mesma já em 2008. A lista inclui A6, A7, A10, A11, A13, A14, A15, A17, A19, A21, A24, A27, A32, A43.
40% antes da cryse.
Daí para cá a situaçäo só piorou, claro, mas näo tanto como seria de esperar. As diferenças säo:
– As A11, A17, A27, que no global já tinham TMD abaixo dos 10.000 carros, deixaram de ter qualquer troço com TMD acima dos 10.000 carros
– A A22 passou a ter TMD global abaixo dos 10.000 carros, superando-o apenas a Leste de Loulé (antes era só a Oeste de Lagos)
– A A23 passou a ter TMD global abaixo dos 10.000 carros, superando-o apenas a Leste de Abrantes
Até aqui já säo 50%… mas há mais, “para além da troyka”:
– A A41 continua globalmente acima do limite, por via dos troços onde já o tinha, mas os 39km do prolongamento feitos pós-2008 têm TMD de apenas 4.000 carros (!!!)
– A A25 já caiu até ao limite, mas abaixo dele já a Leste de Vouzela (antes era só a Leste da Guarda)
E com isto chegamos a 60%…
Neste momento (fim de 2012) já mais de 1.500km, ou 60%, dos 2.500km de AEs de Portugal estäo às moscas, mas que se têm de pagar.

Chamo a atençäo que estes cálculos ainda näo incluem os 135km da AE Transmontana, que abrirá totalmente só em 2013, ou os 35km do Túnel do Marão, qualquer um deles com TMD esperada muito abaixo dos 10.000 veículos. Nem o troço da A2 onde o TMD caiu abaixo do limite, a Sul de Grândola.

Lembrem-se
– 40% dos total de km de AEs estavam vazios já antes da troyka, na altura quase 1.000km
– 41% das PPP foram para a construção de AEs, muitas delas que já se sabia à partida näo terem tráfego que as justificasse
– mesmo em tempo de cryse declarada e intervençäo da troyka continuaram a construçäo de AEs cujo tráfego actual näo justifica que o sejam.

  • inclui-se aqui “o buraco do túnel do Marão – túnel que, correspondendo a 5,6 quilómetros de auto-estrada, tinha um custo inicialmente estimado de 350 milhões de euros, isto é, de 62,5 milhões de euros por quilómetro de auto-estrada. Só.” Já lhe juntaram mais de 263,5 milhões de euros.

– 75% das viagens dos portugueses estäo abaixo dos 50km:

  • Tempo para uma viagem de 50km a 90km/h = 33 minutos.
  • Tempo para uma viagem de 50km a 120km/h = 25 minutos
  • no máximo dos máximos ganham-se 8 minutos em 50km
  • Custo de construçäo de uma estrada decente < 50% do custo de construçäo de uma AE, por isso nos países civilizados o critério é o TMD > 10.000. Ninguém consegue justificar pagar o dobro ou mais para ganhar menos de 10 minutos numa viagem. Só neste país.

Por exemplo na rica Finlândia só existem AEs ou similares (pelo menos 2×2 faixas) entre Helsinquia e Turku (1.a e 2.a cidades), Helsínquia e Tampere (1.a e 3.a cidades), Helsínquia e Lahti (1.a e 4.a cidades), e 2 circulares (e meia) na regiäo de Helsínquia.
Em Portugal qualquer pardieiro tem uma AE. Assim, näo admira que näo haja dinheiro para a Educaçäo, Segurança Social, Cultura, nada. Enquanto isso mesmo com queda do PIB em 2009 de 9% em 2009 a Finlândia mantém a rata de AAA.
Bem dizem que “com papas e bolos se enganam tolos”, ou no caso “com popós e AEs se enganam tugas”. Agora… PAGA, ZÉ! E näo bufes…

A gasolina mais cara da Europa?

Quanto custa a gasolina em Portugal, comparativamente?
Mas tendo em conta o ordenado mensal. Ou seja, o que interessa não é bem quanto custa em euros, mas quanto custa em horas de trabalho.

Quantas horas é que é preciso trabalhar, em média, para pagar a mesma gasolina nos vários países da Europa?
Vejamos:
Italy: Price per gallon of premium gasoline: $8.15
The share of a day’s wages needed to buy a gallon of gas is 8.8 percent

Sweden: Price per gallon of premium gasoline: $8.14
The share of a day’s wages needed to buy a gallon of gas is 5.1 percent

Greece: Price per gallon of premium gasoline: $7.92
The share of a day’s wages needed to buy a gallon of gas is 12 percent

United Kingdom: Price per gallon of premium gasoline: $7.87
The share of a day’s wages needed to buy a gallon of gas is 7.4 percent

France: Price per gallon of premium gasoline: $7.79
The share of a day’s wages needed to buy a gallon of gas is 6.7 percent

Germany: Price per gallon of premium gasoline: $7.74
The share of a day’s wages needed to buy a gallon of gas is 6.6 percent

Portugal: Price per gallon of premium gasoline: $7.72
The share of a day’s wages needed to buy a gallon of gas is 14 percent

Fonte: http://www.bloomberg.com/slideshow/2012-08-13/highest-cheapest-gas-prices-by-country.html#slide15

Bulgaria: Price per gallon of premium gasoline: $6.12
The share of a day’s wages needed to buy a gallon of gas is 33 percent

Latvia: Price per gallon of premium gasoline: $6.08
The share of a day’s wages needed to buy a gallon of gas is 18 percent

China: Price per gallon of premium gasoline: $4.89
The share of a day’s wages needed to buy a gallon of gas in China is 30 percent.

Kuwait: Price per gallon of premium gasoline: $0.89
The share of a day’s wages needed to buy a gallon of gas is less than 1 percent.

Comparação global: http://www.bloomberg.com/slideshow/2012-08-13/highest-cheapest-gas-prices-by-country.html#slide62

Conclusão: Não estamos no pior lugar do mundo.
Mas comparativamente à “Europa” a que queremos pertencer estamos em grande desvantagem.

PS: Não vi nada sobre Angola.

O Islão não sabe nada de geografia

Aqui vai um post em Inglês, porque assumo a minha ignorância de outras línguas porventura mais islâmicas:
– – – –
Artic question
During the holy month of Ramadan, the faithful are unable to eat, drink or smoke between sunrise and sunset.
What do Muslims should do in a town where the sun never really goes down?

Silly me … ?

.Pois soube-me a mofo, pois soube-me a mofo…

(Música do Sergio Godinho: Pois soube-me a pouco.)
Pois soube-me a mofo, pois soube-me a mofo…
Este hamburger do McDonalds.
Pois soube-me a mofo, pois soube-me a mofo…
Aquele hamburger do McDonalds.

É que me soube mesmo a mofo!
Vai daí, comecei a olhar com outro olhos o “modus operandi”.
– – –
McTruques: Entregar a factura ao cliente. Nunca, nunca colocá-la no tabuleiro.
A factura é num papel termo-tóxico, repleta de químicos perniciosos.
Se for o McEmpregado a colocar a dita cuja no tabuleiro, a ASAE multa e com toda a razão.
Se for o cliente a colocá-la, a ASAE já não pode dizer nada.

Cabrões

Vão lá receber o RSI prá puta que os pariu!
– – –
Homem assassinado à queima-roupa, em Lisboa, depois de se ter queixado do barulho dos vizinhos.

O “Jornal de Notícias” escreve que um homem de 59 anos foi atingido nas costas, anteontem à noite, na Avenida Mouzinho de Albuquerque, em Lisboa, quando acabava de sair do prédio onde morava. A sua morte parecia estar anunciada, uam vez que, no passado dia 21 de maio, tanto a vítima como a mulher já tinham sido atacados a tiro e facada pelos mesmos vizinhos (uma família de etnia cigana) e pelas mesmas razões, tendo de receber tratamento hospitalar.

Alexandre Ordonhas, que vivía num andar contíguo a um dos habitados pela família então agressora, tinha feito queixa à PSP devido ao barulho constante, já depois de lhes ter dito que trabalhava por turnos e precisava de dormir. Na altura a PSP interveio e os moradores contaram que uma mulher da mesma família ameaçou Alexandre de morte. Um dos agressores, de 30 anos, filho do indivíduo que agora é suspeito da prática do crime, acabou por fugir, estando em parte incerta desde então. E o mesmo acontece agora com o pai.

O agressor foi visto por populares a puxar da arma e a balear Alexandre pelas costas com três tiros que o atingiram nas pernas, a vítmia arrastou-se até à estrada mas não se conseguiu afastar mais de seis metros, tendo sido baleado novamente, desta vez com dois tiros que o mataram.

Homem morto candidata-se à presidência

Para provar que está vivo
“Homem morto” candidata-se à presidência da Índia

Um homem declarado morto decidiu candidatar-se à presidência da Índia – eleições que ocorrem em julho – para provar às autoridades do país que está vivo. Tem esperança que os documentos obrigatórios provem a sua existência. Isto porque também da carta que escreveu ao primeiro-ministro, Santosh Kumar Singh não obteve resposta

Santosh Kumar Sing, um cozinheiro de 32, passou nove anos da sua vida a tentar provar às autoridades indianas que está vivo, depois da sua família de casta alta o ter declarado morto por causa da sua decisão de casar com uma mulher dalit, a casta mais baixa conhecida como “intocável”.

O homem chegou a escrever ao primeiro-ministro, mas sem sucesso. Decidiu por isso, candidatar-se à presidência da República da índia na esperança que os documentos provem a sua existência, tornando-se assim um dos 12 candidatos.

Santosh Kumar Sing saiu da sua aldeia no ano 2000 para trabalhar em Mumbai, onde se apaixonou e casou com uma mulher dalit. Quando regressou, três anos depois, para apresentar a sua esposa à família, os seus parentes de casta alta não aceitaram o casamento, consideraram-no uma desgraça, baniram Santosh da família e foi declarado morto.

“Alguns dos meus familiares, com a ajuda da polícia, usurparam-me 12,1 hectares de terra. Pedi ajuda à polícia e fui atacado. Disseram: o senhor está morto segundo os documentos oficiais, se não sair da aldeia ficará realmente morto”, declarou ao diário britânico The Telegraph.

A ação intentada para anular a sua certidão de óbito foi indeferida no ano passado, e a sua sogra foi ridicularizada por permitir que a filha tenha casado com um homem morto.

Papinhas boas

Passei pela Praia Grande e depois de ver as alternativas decidi-me a visitar o restaurante “o Crôa”.
Excelente escolha. Imensa gente, várias famílias, parque de estacionamento e parque infantil com um mini escorrega e balancés.

Abriram-se as hostilidades com caracóis e imperiais.
Corria o França – Espanha.
As imperiais estavam divinas! E os caracóis não ficavam atrás. Nem sequer estavam picantes, para os miúdos gostarem.
Meio tempo. No jogo estava tudo em aberto.
Depois vieram as ameijoas, suculentas e carnudas.
Continuámos com as sardinhas enquanto perdíamos a conta às imperiais e os franceses claudicavam.
Rematámos atacando uma copiosa tarte de mousse de chocolate com gelado enquanto regalávamos a vista com um magnífico pôr do sol.
Que pançada. E a conta não foi nada por aí além.

Lá na Suécia não há nada assim.
E o mar imenso, a perder de vista…

Vista da sala de jantar para o parque infantil e para o mar.