Arte vaginal

Um caiaque com vagina. Ou melhor, um caiaque com forma de vagina! [1]

Megumi Igarashi, de 42 anos, queria imprimir fotografias da sua vagina em 3D, para a construção de um caiaque com a forma da mesma. Mas as leis da obscenidade japonesas não permitem ir tão longe e a artista foi detida para verificação.

O Chornal apurou que vão verificar-lhe a vagina e testar a segurança que poderá ter um caiaque com furo ao meio. Provavelmente o projeto vai derivar numa boia para crianças e adultos com o nascimento mal resolvido. A criança entra de pés e fica com os sovacos encostados à vagina. Pode até começar a treinar umas lambidelas!

Algumas obras com a forma da vagina da autora

Põe a palhinha no buraco


Protótipo



Enterrada até às orelhas



Exposição

Morrer na Madeira!

Turista alemã morre na ilha da Madeira
Espanhol morreu a fazer mergulho nos mares na Madeira

“Venha morrer na Madeira!”, é o grande slogan deste verão.

Anteontem foi uma alemã, hoje um espanhol. Não há melhor que a Madeira! Madeira, turismo suicidário!

Come die in Madeira
Venez mourir à Madère
Ven mueren en Madeira
يأتي تموت في ماديرا
Venite a morire in Madeira
マデイラで死ぬ来る
Vine moren a Madeira
Приходите умереть на Мадейре
Kom och dö i Madeira
Tule kuolee Madeiralla

Migrar o Chornal

O Chornal vai migrar do bastidor da direita para o bastidor da esquerda. Neste momento está numa caixa de PC normal, mas vai passar para dentro de uma caixa de 19″ com guias telescópicas para ser mais fácil fazer manutenção.

Vou parar as máquinas virtuais todas – Chornal incluído – para poder transferir o hardware todo para a nova localização.

Até já

O interesse dos merdia

Que fiz eu para merecer isto?
O que lhes interessa é a palhaçada

O interesse “ao lado” é uma forma de censura pior que a censura.
Pois eles são domesticados para estar “interessados ao lado” por um pérfido mecanismo de selecção pseudo natural: Se te esticas, és despedido. Se a linha editorial não interessa, o jornal é reestruturado.
E assim se mantém vivo o enganador mito da liberdade (Ou da Europa, ou da idoneidade da banca). Eu prefiro outros mitos como o do Adamastor. Esse pelo menos já não engana ninguém.

O aumento do PIB

Juros da dívida de Portugal a descer em todos os prazos
Os juros da dívida de Portugal estavam hoje a descer em todos os prazos em relação a terça-feira, depois do “chumbo” do Tribunal Constitucional e alinhados com os juros da Irlanda, Itália e de Espanha…

– – –

Pois então se a decisão do TC faz aumentar o PIB e concomitantemente baixa o rácio dívida/PIB…
Os “mercados” são conhecidos por não apreciarem altos rácios dívida/PIB.

– – –
Por outro lado este é mais um prego no caixão do Euro. Vamos ver se ele morre, se fica zombie, ou se medra.

– – –
Outra coisa: Qual é a palavra que vem à cabeça quando se trata do verbo medrar?
http://www.dicio.com.br/medrar/

Internet dos Pensamentos

Empty
Hell

Às vezes parece-me que o meu pensamento habita uma simples toca numa imensa e cavernosa gruta onde habitam também todos os pensamentos dos outros.

E que pensar é escutar o que todos os outros dizem e ao pensar estou a dizê-lo para todos os outros.

O ambiente geral é o de uma festa com a sua cacofonia multicolorida onde algumas ideias se ouvem bem e outras são fragmentos momentaneamente perceptíveis no meio do marulhar geral.
Pensar é escutar uma em particular, e ao fazê-lo estou a repeti-la e a ressoá-la para todos.

Nenhuma ideia é verdadeiramente minha. Nenhum pensamento é verdadeiramente meu.

Shakespeare:There are more things in heaven and earth, Horatio, than are dreamt of in your philosophy. – Hamlet (1.5.167-8), Hamlet to Horatio.

(Se o meu referencial cultural fosse outro diria que esta é a intemporal gruta das almas, um grande oceano de onde tudo provèm e regressa, mas não é bem isso, é mais uma Internet global e transversal aos eons.)

Stress report

Isto é um stress report da análise de dados.

Chegámos a 1 de Maio e não há resultados conclusivos.
Lá fora é feriado o sol brilha e apetece espairecer…

Chegámos a 1 de Maio e não há resultados conclusivos!
Os dados são HUGE, e manipulá-los é um exercício de equilíbrio com mastodontes.
Só as pastas com os dados do FC juntas já ultrapassam os 6GB.
E o Matlab ainda não conseguiu passar para lá do slide 40 (são 71)
porque rebenta sem apelo nem agravo.
Ainda não percebi se é o Windows ou o Matlab mas mudei do
Matlab2012/win7/4GB para o Matlab2013/Win8/8Gb e o erro nem se mexeu.
Roadblock.

Lá fora é feriado o sol brilha e apetece espairecer…

É preciso ir por outro lado. Mudar o código.
E já é um de Maio. E os dados do FN não são utilizáveis, porque
o sinal dos phototransistores não chegou, porque o ecran entrou em poupança de energia…

E os resultados com os dados do FC começam a falhar a partir do slide 10…
“Estava muito cansado e quase a dormir…” referiu ele.
Será disso? Será do método? Será do código? Doutra coisa?
E é preciso recomeçar e ver se está tudo bem calculado.
E já é um de Maio.

Mas é preciso mudar todo o código, que está a rebentar a partir do slide 40.
E explorar outros métodos. Outro indicadores.
Mais código. Mais código. Mais código. Tanta coisa para fazer.

Não é o DataMining.
É o organizar os dados para o datamining que é pesado, demorado e sujeito a erros e dasatenções.
Depois é necesário voltar atrás e verificar tudo outra vez.
E após isto tudo… E se o código de processamento e data mining tiver bugs?

Aaaahhhh. Isto tem de funcionar!
Tanta coisa depende disso.
E já é um de Maio. Que sufoco.

E depois ainda ainda há mais os dados dela para processar.