III Guerra Mundial

Primeiro-ministro ucraniano demite-se

Sabem de onde virá a III Guerra Mundial?

A tal que ninguém quer, porque estamos habituados ao nosso conforto, que de tempos a tempos nos foge com uma crise económica, ou uma catástrofe?

Vai começar aqui.

A Rússia não quer largar mão da Ucrânia. A dissolução do Bloco de Leste e das repúblicas soviéticas foi apenas um ato administrativo: a Rússia quer manter a sua esfera de influência, principalmente, nos países com interesse estratégico.

A Europa parece não se decidir, provavelmente para evitar um confronto direto com o Putin. Mas existem mesmo vozes a apelar ao ocidente, na Ucrânia? E quantas são? Não foram lá colocadas por nós? E quantos querem manter a influência russa?

Dentro da Ucrânia parece estar-se a viver um verão de Praga: sonharam com a Comunidade Europeia, mas os tanques ainda não entraram pelo país dentro.

O ocidente tem as mãos lá dentro; a Rússia tem as mãos, os pés, o corpo todo, mas com a cara tapada. Há muitas hipóteses deste teatro de fantoches vir a correr mal.

Crimes contra a humanidade

O Euro, essa WMD
Euro is a WMD

Impávido, inamovível das suas convicções, o coelho coveiro do país comanda e incita a sua manada na labuta diária do empobrecimento imposto por aqueles internacionais que às quartas e sábados são contra a austeridade e que às quintas e terças são a favor e que nos outros dias exercitam o silêncio demagógico, enquanto auscultam os ventos, as sortes e os agiotas.

– – –
2010:
Mais de 300 mil jovens portugueses não têm qualquer actividade

2012:
Mais de 430 mil jovens portugueses não trabalham nem estudam.

E só não são mais porque:
Portugal perdeu 65 mil jovens activos num ano.

Esta geração nem-nem foi encurralada e agora está a ser dizimada. Não podem completar o seu ciclo de vida. Passam de juvenis a senis, sem se poderem reproduzir, sem darem fruto. Na Asia procriam e na Europa definham. E depois?
É a economia contra a biologia. O genocídio do futuro está em marcha. Está a acontecer neste momento! E o pior é que não é só em Portugal. Mas é aqui que eu vejo e é aqui que me dói mais.
Srs. ignorantes que nos governam: Vejam os dados demográficos! Vejam a pirâmide etária!
Arrependam-se! Arrependam-se! Façam penitência!
A Europa não pode ser gerida assim.

Um verdadeiro crime contra a humanidade perpetrado pela troika-coelho e seus acólitos.
Viva o Euro, a maior arma de destruição em massa!!

Para quê?

Free World

NSA has asked Linus Torvalds to inject backdoors into GNU/Linux

The United States security service NSA has contacted Linus Torvalds with a request to add backdoors into the free and open operating system GNU/Linux.

Aparentemente a resposta foi não, embora tenha anuído com a cabeça. No entanto, o código fonte do Linux é aberto e escrutinado por milhares de investigadores independentes, o que impossibilita a introdução de backdoors como acontece, quase de certeza, no Windows. Aliás, foi assim que os EUA atrasaram o programa nuclear do Irão: com updates maliciosos do Windows.

Portugueses sem cheta

Depósitos em queda: Portugueses retiram 305 milhões aos bancos
Digo eu, é natural, após 2,5 anos de austeridade as contas tem de se pagar na mesma, e o pessoal cada vez mais desempregado näo tem maneira de poupar, antes pelo contrário. Os poucos que tinham algum no banco retiram-no… para despesas correntes!
Mas parece que näo… atentem na explicaçäo alternativa, de fonte idónea, pois claro:

A queda é em parte explicada pela “concorrência” do Estado, queixam-se os bancos. Com a melhoria da remuneração em setembro, os Certificados de Aforro assistiram a um reforço das subscrições (atingiram os 157 milhões de euros) e a uma diminuição dos resgates (58 milhões), dando um saldo mensal de 99 milhões de euros. Em outubro, o Estado lançou ainda os Certificados do Tesouro Poupança Mais, um produto que os bancos alegam ser “concorrente” dos depósitos.

Malandröes do Estado! Toda a gente sabe que o Estado serve é para SAFAR os Bancos da falência, e näo para lhes fazer concorrência! Como se atrevem???

Estrumeira

É um planeta que é uma estrumeira total e completa.
Os seres vivos estruturantes da ecologia vivem com a boca enterrada e com as partes pudibundas ao léu, a apanhar luz e a exalar gases tóxicos, como o oxigénio.
Tudo isto copiosamente banhado com água liquida.
Uma autêntica mixórdia.
É claro que surgiu uma população oportunista, de seres incapazes de serem biológicamente autónomos e que se alimentam dos primeiros e que também se comem entre si. Uma selva imunda, cheia de água líquida e de tóxicos perigosos como o oxigénio. Um quinto da atmosfera é oxigénio livre!! Livra.
Até é possível um fenómeno extraordinário: a combustão, o fogo!
É claro que é um planeta a evitar.

Infelizmente, as estrumeiras têm tendência a espalhar-se.
Parece que umas coisas, emergentes daquele antro, já conseguem comunicar via rádio e até já chegaram ao satélite natural lá deles.
Qualquer dia aparecem por aqui.
Felizmente que não suportam o nosso querido cloro.

In: Manual do Protozunido, edição Bromo-Arsénio

Sejamos realistas…

Sejamos realistas. Exijamos o impossível!!
A memória do Maio de 68 está de volta.

A possibilidade e a realidade
Sejam realistas, exijam o impossível!!

Sejamos realistas. Este governo é uma nódoa. Este governo não presta. Este governo faz mal ao país.
Este governo tem de acabar. Este governo tem de sair. Este governo tem de ser derrubado.

É preciso lutar. É preciso não lhes dar descanso.
É preciso exigir o que eles nunca nos poderão dar.
Ousemos exigir o que tem de ser feito e eles nunca farão.
Exijamos o impossível!

Aguenta…

15?? Isso é muito caro!!
Aguenta, aguenta…

Aguenta Ulrich, aguenta…
Então achas que isto é uma ditadura do tribunal constitucional, onde “quinze detêm poder sobre milhões” (SIC)
Deves estar a querer tapar o Sol com a peneira.
Com certeza que achas que só um é que é melhor, especialmente se fores tu com os teus milhões.

– –
Um conhecido agiota vem queixar-se em público que não aguenta o tribunal constitucional. Ai aguenta, pois aguenta…

– – –
Viva a libertação dos povos dos agiotas internacionais.
Aproxima-se o tempo do novo holocausto (pacífico e sem mortes…),
onde perecerão os agiotas, lançados nas chamas da reeducação dos fornos
erigidos pelas massas populares esclarecidas e vigilantes.

Negócios e investimentos

Cabeço de Vide, o sítio onde a vida na Terra começou. Já não é uma notícia nova, mas se fosse bem aproveitada, podia fazer entrar muito dinheiro no país, como atração turística.

Imaginem: garrafinhas de água das termas, canecas com imagens da bactéria marciana, etc. etc.

Quem é que quer avançar comigo num negócio destes?

ver mais: [1], [2], [3], [4]

Clandestinidade

Toma lá comida de urso
peoples-stick-

Os portugueses estão a entrar na clandestinidade.
Não na clandestinidade política de outrora, mas na clandestinidade fiscal, que é pior. Estão a ser condenados à inexistência, à irrelevância, à não vida.
Falta escrever o manual do guerrilheiro urbano, perdão, o manual do guerrilheiro fiscal.
Quer quer ser o novo Che, o novo Castro ?

O estado nação transformou-se, pela mão dos agiotas internacionais anónimos, no estado prisão, onde as gerações novas nascem já para pagar dívidas.

Viva a libertação libertária.
Viva Bakunine!

– A propriedade é um roubo! –

O cérebro, esse continente …

Está a passar na TV uma série sobre os segredos do cérebro.
Num dos programas dessa série afirma-se que percepcionamos o mundo sempre com um atraso
da ordem dos 0,1 s. Impressionante! Inacreditável.

Uma vez quando era criança tive essa sensação/suspeita.
Nas férias de verão, no largo de S. Francisco em Faro, que na altura era um enorme terreiro onde se podia correr à larga e não o actual e alcatroado parque de estacionamento, estávamos a atirar pedras uns aos outros e, como é evidente, tínhamos de as fintar. A certa altura vinha uma pedra a voar na minha direcção mas um pouco para o lado. Nesse momento estava a levar a mão ao bolso para tirar outra pedra, num movimento tipo asa de galinha em que o cotovelo fica saliente como se tivesse a mão na anca.
Tudo muito rápido. Estava atento à pedra, ainda a vê-la a vir quando a senti a bater no cotovelo.
Por um momento a confusão abalou-me, mais do que a pedrada e o azar de ter sido atingido exactamente na ponta do cotovelo.
Tinha tido a nítida e clara percepção de que a pedra que aí vinha tinha aparecido de repente a bater no cotovelo enquanto ainda a estava a ver a vir.
Curioso…

Ah, estas memórias quase-esquecidas recuperadas por programas interessantes…

A cryse vai acabar!

Obrigado, povo alemäo!

A Europa susteu a respiraçäo à vista dos resultados preliminares das eleiçöes alemäs…
mas a nojenta ficou a 5 lugares da maioria absoluta.
Toma lá, Merdkel!! O seu partido-bengala FDP lixou-se bem lixado, por 0,2% dos votos fica fora do Bundestag (Parlamento).
Aos fachos envergonhados do AfD faltaram 0,3% dos votos para eleger deputados.

5 lugares. Täo perto e no entanto täo longe.
Vitória de Pirro!

E a Europa respirou… de alívio!
Os Verdes näo a suportam nem com molho de tomate e caril, a Merdkel deve ser o único animal que eles näo querem proteger
À nojenta só resta uma hipótese: um Bloco Central. Mas o SDP já o fez em 2005, e por isso perdeu 11,2 p% na eleiçäo seguinte (dos quais agora só recuperou 2,7p%). Embora como a CDU/CSU também estejam presos ao diktat da alta finança, sabem que seria suicídio político, até porque o SPD ainda tem a maioria no Bundesrat (Senado).
Só com muitas concessöes aceitariam.

Seja como for, boas notícias para o Sul da Europa.

Proxenetas…

Arranjei umas meninas destemidas e um sócio alemão.
Montámos o negócio em Berlim e em Lisboa.
Pedimos um milhão de euros à banca.
Em Berlim financiaram-nos a 1%. Em Lisboa, por causa dum tal risco, a 7%.
E o negócio, misto de ONG e obra de beneficência, seguiu de vento em poupa: Elas davam as quecas e nós ficávamos com o dinheiro.
Mas em Berlim davam menos quecas e ficavam com mais dinheiro. Que coisa estranha…
Tem a ver com a produtividade da indústria, dizem eles.
Então o que é que há de mal com a nossa queca?
Porque é que a deles é melhor que a nossa?
É por causa desse tal risco, disseram-me eles.

Mas eu já os topei.
Que grande invenção, esse tal risco!
Agora sou banqueiro em Lisboa. E esse risco trabalha para mim.
Os alemães são mesmo totós. 1% quando podem ter 7%. Tss, tss, tsss
Assim não vão longe.

Carne…

Carne enlatada

– Carne??!
– Sim, de carne. E da boa!
– Mas como é isso possível? A carne é perecível, apodrece, coze, é frágil.
– Sim excelência, mas temos boas razões para suspeitar que
estes organismos são baseados em carne.
– Mas em carne??! Mesmo carne?? Toda a gente sabe que a carne
não aguenta o voo interplanetário.
Que não suporta as temperaturas do espaço sideral.
Que se desmembra quando a pressão tende para zero.
Como é que eles podem viajar pelo espaço se são feitos de carne??
– Usam carapaças feitas de alumínio e outros metais.
Instalam sistemas de controle de pressão e temperatura e depois
vivem lá dentro.
– Então é para isso que vocês querem o financiamento??!
Para poderem afirmar tamanhos disparates! Onde é que já se viu uma coisa dessas?
Como é possível??
Organismos feitos de carne a fazerem carapaças de alumínio para poderem sair do planeta e e viajar pelas estrelas até aqui?
E como é que a carne é feita??
Dentro de fábricas de alumínio e cobalto inoxidável, todos nós sabemos.
Se eles têm a tecnologia para fazerem carne, usavam-na logo para
viajarem.
Ficava-lhes muito mais barato que essa história da carne.
Isso é um absurdo. Se têm carne a bordo, é com outro propósito.
Se calhar querem vendê-la por aqui, pois nem em todos os mundos se
consegue produzir.
Mas quem é que quererá comprar carne? Para quê?
O que é que vocês sabem sobre isso?
– Excelência, receio que a verdade seja ainda mais inacreditável.
Eles são a CARNE. O que eles vendem é o alumínio.
– Isso é um absurdo. Não sei o que vocês têm andado a fazer, mas
não serve para nada. Inúteis!! Tanto que o estado gastou com vocês,
para vocês se divertirem a inventar essas histórias.
– Mas…
– Nem quero ouvir mais nada. Que desperdício.
Eu bem que já suspeitava.
Vocês não vão gastar mais dinheiro nessas ideias absurdas.
Vou dar instruções para deslocar as verbas sobre a exo-investigação
do carbono e reinvestir tudo Bromo-Silício. Mas que burro que eu fui.
– Então e os investigadores? E o instituto?
Deram o seu melhor. São dedicados.
-Pois que encarem isto como uma oportunidade para fazerem coisas como deve ser. E quem não quiser pode optar por reformar-se.
Vivemos tempos apertados. Não podemos desperdiçar a investigar inutilidades absurdas.