Six Six Six

Depois de me ter babado a ver a 1ª série (ou seria a 2ª?) do Tripping the Rift, depois de ter sacado os episódios todos do Youtube, depois de ter lido tudo o que havia sobre a série, os personagens, os modelos que deram origem aos personagens, depois disto tudo…

… eis que uma alma caridosa me enviou uma foto da Carmen Electra, a modelo que inspirou o desenho da Six, a escrava sexual do Chode.

Descubra as diferenças:

Ana Malhoa revisited

Mal podia imaginar, quando escrevi sobre a Floribela e a Ana Malhoa, que as duas viriam a trabalhar em conjunto. Os actuais showtógrafos da Floribela ao longo do país, há muito que deixaram de ser espectáculos para crianças. Para além das meninas do gás, de pernas nuas compridas…

… consta também a famosa Ana Malhoa, ainda em traje de trabalho nocturno…

(fotos by Catarina Mendonça)

Mamalhudas 4 – A burra

No dia 24 de Setembro de 2006, Domingo, decorre em Cacilhas a 2ª edição do “Tasquinhas e Burricadas”, uma festa com comes-e-bebes, burros e burras. É a partir das 15h. Mas quem quiser pode vir mais cedo e almoçar numa das 70 tascas da rua portuguesa com mais restaurantes. Talvez só ultrapassada por alguma rua em Kuala Lumpur ou Shanghai.

Os burros aparecem sempre: há duas corridas de burros, e nem que venham de patins.


Foto by myself

Quanto às burras, não prometo nada, mas a probabilidade é elevada!


Foto by myself

(Espero que não seja a vossa irmã)

Mamalhudas II – Mamas de Pedra

Sempre que via esta imagem de um anúncio da Sisley vinha-me à ideia a frase: “Mamas de Pedra”.

Era inconsciente, mas acho que tem uma explicação.

A miúda aperta as mamas com força de forma a parecerem duas bolas redondas (uau!). E logo ali ao lado há uma bola de pedra (perto do joelho dela, procurem bem que está lá) com uma configuração muito semelhante.

Daí a “mamas de pedra” foi um salto quântico.

Enjoy!

Mamalhudas 1

Enceto aqui a mais nova categoria deste jornal: as Mamalhudas.

É uma homenagem às mulheres de todos nós: às de grandes mamas, às de mamas enormes e às de mamas descomunais.

Não se pretende que este espaço seja uma imagem do tradicional ditado português “muita parra, pouca uva”, mas que seja, ao invés, um espaço de imagens de verdadeiras mamalhudas do nosso país.

E já chega de parra… tomem lá uvas.

Mamalhudas na praia da Boca do Rio, Algarve (fotografadas por mim)